Fotografia: SC Braga

Uma oportunidade irrepetível

António Salvador assume luta pela reformulação dos campeonatos.

António Salvador
5 Ago 2022

O longo do último século, os campeonatos nacionais têm sido a base competitiva do futebol: preenchem a maior parte do calendário, decidem campeões, subidas e descidas, filtram o acesso às provas europeias e, não menos importante, potenciam grandes e históricas rivalidades que mobilizam multidões e fazem deste desporto o maior espetáculo do mundo.

O que explica, então, que importantes dirigentes dos principais campeonatos europeus tenham manifestado, recentemente, a necessidade de repensar as competições internas? Pensemos, por exemplo, no que há meses foi dito por Oliver Kahn, CEO do Bayern Munique, decacampeão da Alemanha: “A Bundesliga seria mais atrativa se fosse mais competitiva no topo. É interessante pensar em novos modelos, é o que a UEFA fez com a Champions e no Bayern estamos abertos a novas ideias.”

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up