Fotografia: CM Ponte da Barca

Combate ao incêndio em Ponte da Barca reforçado com um meio aéreo pesado

Pelas 14h00 estavam no local 227 operacionais, apoiados por 73 viaturas e três meios aéreos.

Redação/Lusa
15 Jul 2022

O combate ao incêndio florestal que lavra desde terça-feira em Lindoso, no concelho Ponte da Barca, foi pelas 13h00 reforçado com um meio aéreo pesado. No local, por volta das 14h00, estavam ainda 227 operacionais, apoiados por 73 viaturas e três meios aéreos, revela apágina da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil.

O apoio chega após o presidente da Câmara Municipal, Augusto Marinho, ter pedido ao primeiro-ministro o reforço dos meios aéreos para o incêndio. O autarca explicava que as dificuldades no acesso à zona onde lavrava o fogo dificultavam a atividade dos bombeiros, que, nessa altura, no ar, dispunham apenas de dois helicópteros, considerados meios aéreos leves.

“Neste momento não há nenhuma habitação em risco, mas não podemos descurar, porque, apesar do fogo ter recolhido à montanha, não pode repetir-se o que aconteceu ontem [quinta-feira] em que pelas 17h00 fui informado que o combate estava a evoluir favoravelmente e, cerca de três horas depois, foi preciso evacuar uma aldeia”, defende o autarca. “Esta prudência é necessária e a presença de meios aéreos é fundamental, por ser o meio mais eficaz de combate a um incêndio de montanha”, acrescenta.

Na última noite, o fogo gerou, segundo Augusto Marinho, “momentos de grande aflição, ameaças efetivas a pessoas e bens”. As pessoas das aldeias de Froufe e Lourido tiveram que ser evacuadas, mas “já foram autorizadas a regressar às suas casas”, nas quais não houve danos, “apesar de o fogo ter estado muito perto”, assegura o autarca.





Notícias relacionadas


Scroll Up