Fotografia: Desportivo de Guimarães

Presidente do Vitória diz que Pepa estava «desalinhado” com política desportiva

Depois da nota oficial de terça-feira, a informar que o técnico de 41 anos e os «respetivos adjuntos» foram “afastados do comando técnico do plantel principal”, o líder vitoriano frisou que o “desalinhamento” entre as ideias da administração da SAD e os interesses de Pepa, direcionados para o “rendimento desportivo” e não para o “futuro do clube”, aumentou até a “linha ser ultrapassada” na terça-feira, numa reunião entre as partes.

Pedro Vieira da Silva / Lusa
13 Jul 2022

O presidente do Vitória de Guimarães, António Miguel Cardoso, justificou hoje a saída do treinador Pepa com o seu “desalinhamento” face ao “projeto” desportivo, criticando algumas das declarações em que fez transparecer um plantel mais frágil.

Depois da nota oficial de terça-feira, a informar que o técnico de 41 anos e os “respetivos adjuntos” foram “afastados do comando técnico do plantel principal”, o líder vitoriano frisou que o “desalinhamento” entre as ideias da administração da SAD e os interesses de Pepa, direcionados para o “rendimento desportivo” e não para o “futuro do clube”, aumentou até a “linha ser ultrapassada” na terça-feira, numa reunião entre as partes.

“O treinador excedeu determinados limites que, pessoalmente e como presidente do Vitória, nunca o admitiria. O emblema está acima de qualquer situação. A partir desse momento em que a linha foi ultrapassada, cabe à administração fazer o que fizemos. Era preciso um acordo porque o ‘mister’ Pepa estava perfeitamente desalinhado [connosco]”, disse, em conferência de imprensa realizada hoje na sala de imprensa do Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães.

Ainda que o grupo de trabalho possa ser “mais barato” face a temporadas anteriores, o presidente dos vimaranenses disse exigir “rendimento e resultados desportivos” e trabalhar para “um balneário motivado e cheio de confiança”, algo que crê ser possível com Moreno Teixeira, treinador recrutado à equipa B, hoje apresentado.

“Desde as primeiras conversas com o Moreno, sei que é com a noção dos jogadores dos sub-12 até à equipa A. É uma pessoa plenamente consciente do projeto do Vitória. Se, no momento certo, tiver de lançar um jovem lá para dentro, vai lançar e dar-lhe confiança”, enalteceu.

António Miguel Cardoso crê até que o novo treinador, a quem reconhece “amor” ao clube, mas também competência, pode constituir ‘peça-chave’ para se criar um “núcleo coeso e fechado” entre jogadores, equipa técnica e ‘staff’ e mostrou-se até “mais seguro” quanto a um desfecho positivo na segunda pré-eliminatória da Liga Conferência Europa, com os húngaros do Puskas Académia, a realizar-se em 21 e em 28 de julho, do que estava “há três dias”.





Notícias relacionadas


Scroll Up