Fotografia: Nuno Cerqueira

Politécnico de Viana do Castelo vê aprovada nova designação e doutoramentos

Institutos passam a designar-se universidades politécnicas e a poder atribuir o grau de doutor.

Redação/Lusa
27 Jun 2022

O presidente do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC), Carlos Rodrigues, revelou esta segunda-feira a aprovação de iniciativas legislativas que permitem aos politécnicos atribuir o grau de doutor e que os institutos passem a designar-se universidades politécnicas. Tratam-se de três iniciativas que foram aprovadas na sexta-feira pela Assembleia da República.

“Este é um marco histórico e de extrema importância para os institutos politécnicos”, frisa Carlos Rodrigues, num comunicado enviado às redações. A iniciativa legislativa subscrita por mais de 20 mil cidadãos foi aprovada por unanimidade no parlamento, que aceitou a proposta que defende o fim da “limitação legal que impede os politécnicos de outorgar o grau de doutor” e a possibilidade de “adotar a designação de universidade politécnica em substituição da de instituto politécnico”.

O presidente do IPVC destaca a “importância da mudança da designação dos institutos politécnicos para universidades politécnicas”, uma vez que, segundo explica, “a nível internacional é muito difícil explicar o que é um instituto politécnico, uma vez que, globalmente, o termo utilizado é universidade politécnica”. “Mesmo dentro de portas vamos trabalhar na mudança de mentalidade, o que vai permitir mitigar o estigma social que, infelizmente, ainda existe na nossa sociedade. Para muitos o ensino politécnico está ainda associado a um ensino de qualidade inferior, o que não é verdade”, sublinha.

Para Carlos Rodrigues, a aprovação da iniciativa “vem ao encontro do protocolo assinado, na semana passada, entre o IPVC e a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), que “vai permitir a realização de orientação científica de projetos de doutoramento entre professores e investigadores das duas instituições”.  O protocolo “visa a criação das condições gerais para o desenvolvimento da cooperação científica, pedagógica e técnica, com particular foco no desenvolvimento de projetos de doutoramento, com orientação científica partilhada, de estudantes matriculados em cursos de 3.º ciclo (Doutoramento) ou Programas Doutorais da UTAD, em áreas de ensino e de investigação consideradas de interesse comum”, adianta Carlos Rodrigues.

O IPVC conta atualmente com cerca de cinco mil alunos e seis escolas – de Educação, Tecnologia e Gestão, Agrária, Enfermagem, Ciências Empresariais, Desporto e Lazer -, nas quais são ministradas 28 licenciaturas, 40 mestrados, 34 CTESP e outras formações de caráter profissionalizante. O instituto tem ainda escolas superiores instaladas em Ponte de Lima (Agrária), Valença (Ciências Empresariais) e Melgaço (Desporto e Lazer).





Notícias relacionadas


Scroll Up