Fotografia: Nuno Cerqueira

Monkeypox. DGS confirma mais 11 casos de infeção

Todos os casos confirmados estão estáveis e a ser acompanhadas clinicamente.

Redação/Lusa
23 Jun 2022

A Direção-Geral da Saúde (DGS) confirmou mais 11 casos de infeção pelo vírus Monkeypox desde quarta-feira. Regista-se agora um total de 328 pessoas infetadas em Portugal.

Todas as infeções confirmadas pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) são em homens entre os 19 e os 61 anos, tendo a maioria menos de 40 anos. Em comunicado, a DGS adianta que a maioria das infeções foi reportada na zona de Lisboa e Vale do Tejo, havendo também casos no Norte e no Algarve, e que os casos confirmados estão estáveis e a ser acompanhadas clinicamente.

A Agência de Segurança da Saúde do Reino Unido identificou como grupo de maior risco de contração da doença os homens que fazem sexo com outros homens e que têm múltiplos parceiros, participam em sexo em grupo ou frequentam locais onde o sexo ocorre nas instalações. No entanto, alerta que a transmissão do vírus não está associada especificamente a relações homossexuais, sendo favorecida pela proximidade resultante de qualquer tipo de relação sexual.

De acordo com as autoridades de saúde, a manifestação clínica da Monkeypox é geralmente ligeira, com a maioria das pessoas infetadas a recuperar da doença em poucas semanas. Os sintomas incluem febre, dor de cabeça, dores musculares e nas costas, nódulos linfáticos inchados, calafrios e exaustão, evoluindo para erupção cutânea. O período de incubação é tipicamente de seis a 16 dias, mas pode chegar aos 21 e, quando a crosta das erupções cutâneas cai, a pessoa infetada deixa de poder contagiar.





Notícias relacionadas


Scroll Up