Espaço do Diário do Minho

Curiosidades… curiosas

23 Jun 2022
João Gomes

Na Premier League (principal liga inglesa de futebol, como sabemos), os clubes foram unanimes em concordarem com a manutenção do atual limite dos 35€ no preço cobrado para adeptos visitantes, pelo menos até à época 2024/2025, ou seja, o campeonato europeu que mais dinheiro gera em receitas televisivas, e que mais pessoas tem a assistir jogos ao vivo, pratica um preço de bilhetes que correspondente a menos de metade do preço praticado na Liga Portuguesa (75 €).

Em Portugal, os oito estádios considerados de nível 1 podem cobrar mais por um bilhete do que o preço máximo imposto pela UEFA para adeptos visitantes da Liga dos Campeões (70 €) e Liga Europa (45 €).

A acrescentar a esta barbaridade, temos o simples facto de que o salário médio em Portugal é praticamente metade do que se verifica no Reino Unido. A ausência do maior ativo dos clubes, nas bancadas – que são os adeptos –, pelos vistos não é fator de preocupação, pois nada se tem feito (ou pensado) para inverter esta situação que leva décadas.

As “habilidades” pouco aconselháveis a que nos habituaram os nossos clubes, nesta matéria, encontram eco em outras, praticadas pela Federação Portuguesa de Futebol, que, devido ao seu estatuto de Utilidade Pública, deveria ser um exemplo nos procedimentos e não adotar práticas que possibilitem, de acordo com a Autoridade Tributária, que o selecionador nacional tenha declarado, entre 2016 e 2017, 70.000€ quando efetivamente auferiu 10 milhões de euros da FPF.

A UEFA, através das competições de clubes que organiza, gera uma receita global de 3,6 mil milhões de Euros, sendo que 2,6 mil milhões de Euros acabam nos 96 clubes participantes e apenas 175 milhões nos mais de 750 clubes não participantes. Se nada mudar, as diferenças atuais vão continuar a crescer.

O presidente da Liga Espanhola referiu, e bem, ao denunciar que os Clubes-Estado (por exemplo Manchester City e PSG), governados por dirigentes políticos do medio-oriente, são um perigo para a filosofia do futebol, que estes, ao competirem deslealmente com todos os outros, no campo, ainda provocam um efeito de inflação nos salários e nas transferências, sem esquecer que todos eles utilizam condutas reprováveis no âmbito económico-desportivo.

É obrigação das Ligas denunciar as irregularidades que afetam as suas competições. E é tempo de a Liga Portugal ter um presidente com coragem para colocar os interesses do futebol acima de tudo e de todos.



Mais de João Gomes

João Gomes - 30 Jun 2022

Iniciaram-se os trabalhos para a equipa do nosso SC Braga, tendo em vista mais uma época que se anseia diferente, para melhor. Para já, tudo aponta para mais do mesmo. Mais uma vez se verifica uma enorme falta de estratégia na construção de uma equipa de topo que possa ombrear com os adversários diretos na […]

João Gomes - 9 Jun 2022

Iniciou o período mais aborrecido para os adeptos de futebol. Teremos agora mais de dois longos meses sem futebol a nível dos campeonatos nacionais. Este período é conhecido no meio como o período do defeso, e, como não podia deixar de acontecer, há sempre muito barulho e bastante confusão no mundo do futebol, haja ou […]

João Gomes - 2 Jun 2022

Na passada semana, li uma notícia que me deixou totalmente desconcertado, e que tinha como título “SC Braga soma penta entre pequenos”. Com efeito, em todos os finais de época, é efetuado um balanço e atribuído um “cetro” ao rei dos pequenos. De acordo com tal análise, o SC Braga somou o quinto título consecutivo […]


Scroll Up