Fotografia: Ricardo Perna

«A vida familiar não é uma missão impossível», afirmou o Papa

O Papa Francisco afirmou hoje na abertura do X Encontro Mundial das Famílias que o matrimónio não é uma “formalidade cumprida” e a “vida familiar não é uma missão impossível”.

Redação/Ecclesia
23 Jun 2022

“A vida familiar não é uma missão impossível. Com a graça do sacramento, Deus torna-a uma viagem maravilhosa que se há de fazer juntamente com Ele; nunca sozinhos”, afirmou o Papa.

Francisco lembrou que “a família não é um ideal, belo mas na realidade inatingível” e garantiu que “Deus garante a sua presença no matrimónio e na família, não só no dia do casamento, mas ao longo da vida inteira”.

“O matrimónio não é uma formalidade a ser cumprida. Não vos casais para ser católicos ‘com a etiqueta’, para obedecer a uma regra ou porque a Igreja assim o diz; casais-vos, porque quereis fundar o matrimónio no amor de Cristo, que é firme como uma rocha”, afirmou.

Na sua intervenção durante o Festival da Família, que marcou o início do X Encontro Mundial das Famílias, o Papa comentou diferentes histórias de famílias, partilhadas durante o encontro e disse que “ver a família desagregar-se é um drama que não pode deixar ninguém indiferente”.

“O sorriso dos esposos desaparece, os filhos sentem-se perdidos, de todos desaparece a serenidade. E, na maioria dos casos, não se sabe o que fazer”, afirmou o Papa.

Francisco disse que “ninguém quer um amor de ‘curto prazo’ ou com ‘prazo estabelecido’, referindo que se sofre “quando as falhas, as negligências e os pecados humanos fazem naufragar um casamento”.

“O perdão cura todas as feridas; é um dom que brota da graça com a qual Cristo inunda o casal e a família inteira, quando se deixa Ele agir, quando se volta para Ele”, indicou.

“A vida familiar não é uma missão impossível. Com a graça do sacramento, Deus torna-a uma viagem maravilhosa que se há de fazer juntamente com Ele; nunca sozinhos”, afirmou o Papa.

Francisco lembrou que “a família não é um ideal, belo mas na realidade inatingível” e garantiu que “Deus garante a sua presença no matrimónio e na família, não só no dia do casamento, mas ao longo da vida inteira”.

“O matrimónio não é uma formalidade a ser cumprida. Não vos casais para ser católicos ‘com a etiqueta’, para obedecer a uma regra ou porque a Igreja assim o diz; casais-vos, porque quereis fundar o matrimónio no amor de Cristo, que é firme como uma rocha”, afirmou.

Na sua intervenção durante o Festival da Família, que marcou o início do X Encontro Mundial das Famílias, o Papa comentou diferentes histórias de famílias, partilhadas durante o encontro e disse que “ver a família desagregar-se é um drama que não pode deixar ninguém indiferente”.

“O sorriso dos esposos desaparece, os filhos sentem-se perdidos, de todos desaparece a serenidade. E, na maioria dos casos, não se sabe o que fazer”, afirmou o Papa.

Francisco disse que “ninguém quer um amor de ‘curto prazo’ ou com ‘prazo estabelecido’, referindo que se sofre “quando as falhas, as negligências e os pecados humanos fazem naufragar um casamento”.

“O perdão cura todas as feridas; é um dom que brota da graça com a qual Cristo inunda o casal e a família inteira, quando se deixa Ele agir, quando se volta para Ele”, indicou.





Notícias relacionadas


Scroll Up