Fotografia: DR

Ministra da Saúde culpa pandemia por adiamento de soluções

Marta Temido ouvida hoje num debate de urgência no parlamento.

Redação/Lusa
17 Jun 2022

A ministra da Saúde recusou hoje “explorar óbitos e sofrimento” e culpou a pandemia de covid-19 e a queda do Governo pelo adiamento de respostas para melhorar o Serviço Nacional de Saúde (SNS).

“Não vou explorar os óbitos, o sofrimento de bebés, de mães, de famílias e dos profissionais de saúde que se confrontam com situações limite e da sociedade que se confronta com a ansiedade de serviços que funcionam com alguns constrangimentos”, disse Marta Temido aos deputados durante um debate de urgência no parlamento requerido pelo Chega “sobre o caos instalado nos serviços de urgência de ginecologia e obstetrícia do país”.

A ministra foi confrontada pelos vários partidos sobre a morte de um bebé no hospital de Caldas da Rainha na semana passada e sobre o fecho de vários serviços de urgência.

A governante assegurou que estas situações vão ser “naturalmente averiguadas com serenidade e total transparência para se perceber aquilo que falhou”.

Marta Temido admitiu também que “há problemas estruturais”, mas que “não são de agora”, apontando que “há uma resposta e uma visão estratégica”.

“Caso se tenham esquecido, este parlamento aprovou uma nova lei de bases da Saúde em 2019, a implementação dessa nova lei de bases da saúde, designadamente por via de um novo estatuto do SNS, ficou adiada porque aconteceu uma pandemia e uma queda do governo”, disse.





Notícias relacionadas


Scroll Up