Fotografia: DM

Processo sinodal é «caminho a percorrer juntos»

Dezenas de pessoas assistiram à sessão, que permitiu colher mais contributos que possam melhorar o documento final.

Rita Cunha
15 Jun 2022

O processo Sinodal é um «caminho a percorrer juntos, uma conversão pessoal, pastoral e missionária», lembrou o Arcebispo de Braga, ontem à noite, durante a Assembleia Diocesana Sinodal à qual presidiu e que juntou, no Espaço Vita, dezenas de pessoas em torno de uma partilha de opiniões e experiências sobre o processo sinodal.

Numa primeira intervenção, na abertura do encontro, D. José Cordeiro começou por agradecer a todos os que estiveram envolvidos no processo que, lembrou, «envolve a todos: arcebispos, bispos, presbíteros, diáconos, consagrados, leigos e leigas, e todos os que são pertença desta Igreja que peregrina aqui na Arquidiocese de Braga».

Para além disso, «queremos também experimentar o que o Papa Francisco nos tem provocado dizendo que o caminho da Sinodalidade é o caminho que Deus espera para a Igreja do 3.º milénio e que seja a expressão do nosso quotidiano». Para o Arcebispo de Braga, escutar o Espírito Santo é «sempre» a «primeira etapa» para «nos podermos escutar uns aos outros no mesmo espírito».

Sobre o documento que esteve a ser debatido e que reflete a síntese da fase diocesana do processo sinodal na Arquidiocese de Braga, o Prelado disse tê-lo «lido com muita atenção» por duas vezes e salientou a importância do encontro de modo a que o texto possa ser melhorado. «Este momento é de graça e decisivo no peregrinar dos próximos tempos», considerou, desejando que «o espírito nos congregue a todos neste caminhar juntos e que este seja mais afetivo e efetivo e não desanimemos apesar de difícil o caminho», disse, propondo «uma escuta recíproca».

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up