Fotografia: Avelino Lima

XXXI Encontro de Gigantones e Cabeçudos vai tornar Braga a cidade mais “alta” do país

A receção dos grupos está marcada para as 15h00, na Câmara Municipal de Braga, e o cortejo de gigantones e cabeçudos acontece às 21h30 do dia 18 de junho.

Carla Esteves
13 Jun 2022

No próximo dia 18 de junho Braga promete transformar-se na cidade “mais alta do país”, ao acolher o XXXI Encontro Internacional de Gigantones e Cabeçudos, um evento inserido nas festividades do São João de Braga, a maior festa popular e tradicional do país.

A garantia foi dada, hoje , por José Freitas, presidente da Associação Ida e Volta, entidade organizadora do evento, e pelo padrinho da iniciativa, Constantino Teixeira, que consideraram que Braga será, neste dia, «a cidade maior do país, em concentração de pessoas e em altura».

José Freitas avançou que esta edição trará a Braga 29 grupos de gigantones e cabeçudos, entre os quais dois da vizinha Galiza, como vem sendo tradição.

O presidente da Associação de Festas de S. João de Braga, Firmino Marques, considerou, ontem, que os gigantones e cabeçudos são «uma marca distintiva do S. João de Braga, e consequentemente colaboraram para a aquisição do estatuto europeu de Braga como o destino mais desejado de 2021».

Nesse sentido, Firmino Marques, deixou uma homenagem «a todas as pessoas que dão corpo à organização do S. João de Braga, em particular o movimento associativo bracarense.

«Seria impossível termos um S. João tão rico sem o movimento associativo bracarense», afirmou, homenageando a Ida e Volta e todos os movimentos associativos, incluindo as que assumem a formação e ensino do cavaquinho e o movimento associado ao folclore, que transformam o S. João de Braga na festa popular mais vivida e mais antiga do país.

Daniel Pinto, presidente da Junta de Freguesia  de S. Vicente, enalteceu a forma como a Ida e Volta vem promovendo esta iniciativa cultural e artística, realçando a importância de preservar a arte da construção de gigantones e cabeçudos.

O autarca local reconheceu a importância do desafio lançado pelo padrinho do evento, para construção de um monumento ao cabeçudo, considerando a necessidade de marcar esta tradição no território.

Recordou ainda que dos cerca de 1000 participantes neste Encontro, 250 ficarão alojados no Regimento de Cavalaria nº 6, outra instituição apoiante da freguesia





Notícias relacionadas


Scroll Up