Fotografia: Avelino Lima

CDS apontado como «partido de causas» que «faz falta» à democracia portuguesa

Social-democrata Joaquim Barbosa e socialista pedro sousa destacam a inportância de «um partido fundador da democracia»

Joaquim Martins Fernandes
2 Jun 2022

O CDS-PP é um partido «estruturante» da democracia portuguesa e com um espaço bem definido no quadro político nacional. A tese uniu os dois comentadores residentes do programa “Trio de Quatro” da DMTV, com o socialista Pedro Sousa a coincidir com o social-democrata Joaquim Barbosa na ideia de que o país precisa do «partido de causas».

Para o social democrata Joaquim Barbosa, a ausência do CDS da Assembleia da República resulta de «um percalço» motivado por «alguns erros estratégicos». Um deles foi a opção pelo líder que sucedeu a Assunção Cristas.

«Numa altura em o CDS não estava nos seus melhores dias, nomeadamente nas últimas eleições de Assunção Cristas, o partido foi escolher para presidente uma pessoa que não tinha notoriedade política nem pública. Só começou a tê-la depois de ser presidente do partido. Isso são erros estratégicos que se pagam [caro]», sublinha Joaquim Barbosa, para quem «estava escrito nas estrelas que Nuno Melo haveria de ser presidente» dos centristas. Convicto de que «o amigo de longa data» podia ter chegado «muito mais cedo» à liderança do partido, Barbosa considera que o CDS está agora «em boas mãos» e que reúne as condições «para se reestruturar».





Notícias relacionadas


Scroll Up