Fotografia: DR

D. José Cordeiro benze primeira pedra da igreja do Mosteiro Trapista em Palaçoulo

Obra, em Miranda do Douro, deve ficar concluída em 2023, a tempo da Jornada Mundial da Juventude, em Lisboa.

Redação
25 Mai 2022

O Arcebispo de Braga, D. José Cordeiro, presidiu à bênção da primeira pedra da igreja abacial do Mosteiro Trapista de Santa Maria Mãe da Igreja, em Palaçoulo, Miranda do Douro, na Diocese de Bragança-Miranda.

Num comunicado enviado ao Diário do Minho, a Diocese de Bragança-Miranda adianta que a  primeira pedra, que foi benzida e colocada no local onde vai ficar instalado o altar da igreja abacial, veio diretamente do Mosteiro de Vittorchiano, em Itália, e nela foram colocados os nomes das 80 monjas fundadoras.

A celebração decorreu ontem e contou com a presença de bispos titulares e eméritos das Dioceses da Província Eclesiástica de Braga (Aveiro, Braga, Bragança-Miranda, Coimbra, Porto e Vila Real) e também do administrador de Bragança-Miranda.

Partiparam também os trabalhadores e as equipas de engenheiros e arquitectos da obra, bem como «muitos os populares, amigos, autarcas, e sacerdotes».

Fundado em 2019 pelo Mosteiro de Vittorchiano,  o Mosteiro Trapista de Santa Maria Mãe da Igreja pertence à Ordem Cisterciense da Estrita Observância. 

É o primeiro mosteiro trapista em Portugal e vai ter capacidade para acolher 40 monjas. 

Neste momento está erguida a Casa de Acolhimento ao Peregrino, onde 10 monjas italianas «rezam e trabalham temporariamente».

O projeto do complexo do Mosteiro, com a igreja abacial, prevê também construção de um edifício com vários espaços para a comunidade e para o trabalho diário.

De acordo com o comunicado, enviado pelo Secretariado das Comunicações Sociais da Diocese de Bragança-Miranda, as obras do Mosteiro Trapista estão estimadas em seis milhões de euros e devem estar concluídas «a tempo da Jornada Mundial da Juventude», que se realizará em Lisboa no próximo ano.

A Ordem Cisterciense da Estrita Observância,   também conhecida como Ordem Trapista, por a sua origem estar na região francesa de La Trappe, é uma congregação religiosa católica que foi fundada por Armand-Jean Le Bouthillier de Rancé.

[Notícia na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up