Fotografia: DR

Eleição de arguida como deputada adia julgamento do megaprocesso AIMinho

Processo da AIMinho conta com 120 arguidos.

Redação
17 Mai 2022

O início do julgamento de um megaprocesso por fraude de quase 10 milhões de euros com epicentro na extinta Associação Industrial do Minho (AIM) foi ontem adiado, porque uma arguida foi, entretanto, eleita deputada à Assembleia da República. Em causa está a deputada Cláudia Patrícia Dantas, eleita deputada em janeiro pelo PSD, pelo círculo eleitoral da Madeira, que está pronunciada por um crime de fraude na obtenção de subsídio.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]
 





Notícias relacionadas


Scroll Up