Fotografia: DR

Ministra diz que combate à violência no desporto é «prioridade» e «luta contínua»

A ministra, que foi alertada pelo deputado André Coelho Lima, do PSD, sobre os alegados insultos de adeptos do Boavista ao futebolista do Vitória de Guimarães Rochinha, na sexta-feira, no jogo da 33.ª jornada da I Liga, afirmou: «É preciso condenar manifestações de ódio, racismo, seja no contexto desportivo, seja em que espaço for.»

Redação / Lusa
10 Mai 2022

A ministra Adjunta e dos Assuntos Parlamentares garantiu hoje que o combate à violência no desporto “é uma prioridade”, e uma “luta contínua” do Governo, inscrita na proposta de Orçamento do Estado, que está a ser discutida na especialidade.

“O combate à violência no desporto é uma prioridade, e é sempre uma luta contínua, mesmo que haja evolução nesse trabalho é sempre possível fazer mais”, disse Ana Catarina Mendes, na audição no Parlamento no âmbito da discussão na especialidade da proposta de Orçamento do Estado.

A ministra lembrou que a violência, o racismo e a xenofobia “são transversais” à sociedade, e garantiu que o Governo “não descurará essa matéria”.

Ana Catarina Mendes destacou a aposta “na prevenção, na revisão dos modelos de segurança dos recintos, e em campanhas de sensibilização”, lembrando que a Autoridade para a Prevenção e Combate à Violência no Desporto (APCVD) já está a fazer esse trabalho.

A ministra, que foi alertada pelo deputado André Coelho Lima, do PSD, sobre os alegados insultos de adeptos do Boavista ao futebolista do Vitória de Guimarães Rochinha, na sexta-feira, no jogo da 33.ª jornada da I Liga, afirmou: “É preciso condenar manifestações de ódio, racismo, seja no contexto desportivo, seja em que espaço for.”

“Há uma barbárie que está a tomar conta do desporto, não podemos ignorar este nível grotesco”, afirmou André Coelho Lima, dando com exemplo o caso do extremo e capitão do Vitória de Guimarães, que disse ter sido alvo de insultos a “festejar a morte da mãe” por espetadores afetos ao Boavista, comportamento que, entretanto, já foi condenado pelo Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol (SJPF).

Também este fim de semana, em vários locais do país, registaram-se diversos incidentes, sendo o mais grave o esfaqueamento que causau a morte a um homem no Porto.





Notícias relacionadas


Scroll Up