Fotografia: Avelino Lima

Mais de mil alunos das escolas do concelho «Unidos pela Paz”

Crianças dançaram, cantaram e pintaram t-shirts para oferecer a outras crianças ucranianas

Carla Esteves
9 Mai 2022

Mais de mil alunos das escolas do 1.º ciclo do ensino do concelho de Braga  realizaram, hoje, um manifesto solidário de homenagem às crianças da Ucrânia, designado “Unidos pela Paz”.

Ao início da tarde, a Avenida Central transformou-se num palco gigantesco onde se expôs o resultado de um trabalho criativo desenvolvido no âmbito das Atividades de Enriquecimento Curricular (AEC), que teve como principal objetivo unir as crianças de Braga às da Ucrânia, num autêntico “abraço de paz”.

A vereadora da Educação da Câmara Municipal de Braga, Carla Sepúlveda, reforçou a importância desta iniciativa se celebrar no Dia da Europa, «numa altura em que estamos todos a sofrer com a guerra, em especial as crianças que sentem de forma diferente porque estão junto a outras que sairam do seu país, e foram obrigadas a deixar a sua vida para trás».

«Esta é uma forma de consciencializar as crianças para a construção de uma Europa baseada na paz, incentivando-as a serem solidárias, a saber acolher os meninos que chegam e a enviar a sua solidariedade, através de uma t-shirt, para as crianças que estão longe», afirmou.

Carla Sepúlveda adiantou que as crianças refugiadas da Ucrânia recentemente chegadas a Braga já se encontram devidamente integradas nas escolas, num processo idêntico ao que ocorreu com outras crianças chegadas de  conflitos noutros locais.

«A integração está a decorrer dentro da normalidade, naturalmente com o tempo que é necessário para a aprendizagem da língua. Algumas crianças que eram acompanhadas pelos pais nas aulas deixaram já de o ser e já têm amigos na escola», contou, revelando que a autarquia tem apoiado os recém-chegados no estudo do Português, através de um projeto dos Mediadores Culturais, mas também através de uma parceria com o Babelium da UMinho e o Wallstreet.

Por seu turno, Maria Torcato Baptista, coordenadora daEplural, a cooperativa dedicada à Educação Não Formal que efetua a gestão das AEC em cinco agrupamentos de escolas do 1.º ciclo do concelho, revelou que o processo de preparação para obter o belo resultado de ontem começou a 24 de fevereiro, quando, tocada pela realidade das crianças ucranianas, a EPlural desafiou os professores do Conservatório de Música Calouste Gulbenkian e da Ent’artes a desenvolver um trabalho específico com as crianças e propôs aos professores de Expressão Plástica a realização da pintura de T-shirts para oferecer às crianças ucranianas.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up