Fotografia: DR

Regresso da Festa do Alvarinho e do Fumeiro a Melgaço gera aumento de 40% nas vendas

Mais de 50 mil pessoas passaram pelo evento durante os três dias.

Redação/Lusa
28 Abr 2022

Os três dias da Festa do Alvarinho e do Fumeiro de Melgaço, que este ano retomou o formato presencial recebendo mais de 50 mil visitantes, permitiram aumentar em 40% as vendas dos 42 produtores presentes, comparativamente a 2019.

Em comunicado hoje enviado às redações, a autarquia estacou que “mais de 50 mil pessoas” estiveram durante os três dias na iniciativa, que decorreu entre sexta-feira e domingo, e que, “de acordo com os produtores, [o evento] gerou um crescimento na faturação na ordem dos 40%, relativamente à Festa do Alvarinho e do Fumeiro (FAFM) de 2019”, último ano em que decorreu nos moldes habituais, depois de dois anos de interregno devido à pandemia de covid-19.

“A caixa multibanco instalada no recinto da feira registou levantamentos de cerca de 55 mil euros. Nestes dias, o alojamento no concelho esgotou e a afluência nos restaurantes locais foi elevada”, realçou o município.

Na 28.ª edição participaram 27 produtores de Alvarinho, 15 de queijos, fumeiro e produtos locais, quatro tasquinhas e nove instituições e empresas, de diferentes setores.

O recinto da festa contou com um total de 55 expositores e uma zona de degustações, com capacidade para cerca de 400 pessoas sentadas.

“Embora as expectativas fossem altas, havia sempre receio. Era a primeira festa (…) nos moldes habituais, após o interregno de dois anos provocado pela pandemia covid-19 e o primeiro evento sem a obrigatoriedade de utilização da máscara. Havia o risco de as pessoas ainda terem receio em participar, dada a dimensão e habitual afluência de pessoas, tal como os produtores no que respeita às quantidades de produção, mas foi uma das melhores festas de sempre”, destacou o presidente da Câmara, citado na nota.

Manoel Batista referiu que foram superadas “todas as expectativas”.

“Foi, de facto, um magnífico evento, com um enorme impacto económico para toda a região. Finalmente, voltamos ao nosso pleno, presencialmente, como merecemos. À nossa forma tradicional de fazer a festa do Alvarinho”, frisou.

A Festa do Alvarinho e do Fumeiro de Melgaço começou, em 1995, por se apresentar como uma mostra de produtos locais para as populações locais. Em 2009, o Turismo de Portugal reconheceu o seu Interesse para o Turismo.

“Não podemos descurar a grande importância deste evento para toda a economia local que, há 27 anos, é impulsionada também através deste evento. Não há exemplo no Alto Minho, nomeadamente nesta fileira do vinho e dos produtos locais, de um certame que tenha o impacto que tem a Festa do Alvarinho e do Fumeiro na economia dos municípios laterais. Até nos vizinhos galegos há grande impacto no alojamento”, realçou Manoel Batista.

Em 2015, o fumeiro foi distinguido pela Comissão Europeia, através da integração do presunto e da chouriça de carne na lista dos produtos com Indicação Geográfica Protegida (IGP), juntando-se assim ao salpicão e à chouriça de sangue, produtos que resultam “do saber-fazer das populações de Melgaço, que conhecem as técnicas de fabrico tradicional transmitido de geração em geração”.





Notícias relacionadas


Scroll Up