Fotografia: DR

Ex-motorista requer insolvência de operadora de Viana do Castelo para receber salários

Um ex-motorista requereu a insolvência da transportadora por uma dívida 22.898,02 euros.

Redação/LUSA
26 Abr 2022

De acordo com o portal Citius, a ação deu entrada, por via eletrónica, na sexta-feira, no juízo do Tribunal do Comércio de Viana do Castelo.

Já fonte do departamento de contencioso do Sindicato dos Trabalhadores de Transportes Rodoviários e Urbanos do Norte (STRUN) explicou à Lusa que, em 2021, o trabalhador que agora requereu a insolvência da Transcolvia pediu a rescisão do contrato de trabalho com a empresa, alegando justa causa.

“Avançou para a rescisão porque, depois de três meses sem receber, decidiu não tolerar mais aquela situação. O caso foi levado a tribunal. O trabalhador ganhou a ação e, até agora, a empresa nada pagou. Por esse motivo, o trabalhador decidiu acionar o mecanismo de insolvência para tentar recuperar os créditos reconhecidos”, explicou a fonte.

Aquela fonte referiu que “há outros credores [trabalhadores], também sócios do sindicato que, em 2020, ao abrigo de um plano de recuperação apresentado pela Transcolvia e aprovado pelo tribunal declararam os seus créditos, mas que até agora não foram pagos”.

Na altura, o pedido de insolvência da mesma transportadora fundada em 1960 foi requerido pelo Ministério Público (MP), por uma dívida às Finanças no valor de 15.142.705,05 euros.

Desde o início do ano, os trabalhadores da Auto Viação Cura têm feito várias greves a reclamar o pagamento de salários em atraso. As paralisações têm ocorrido a partir do dia 08 de cada mês, entre as 06:30 e as 09:00, e causado grande impacto no transporte escolar.





Notícias relacionadas


Scroll Up