Fotografia: DR

Kiev acorda com Moscovo corredor humanitário em Mariupol

Nos últimos três dias, nenhum corredor humanitário foi aberto.

Redação/Lusa
20 Abr 2022

Kiev acordou com Moscovo a criação de um corredor humanitário para retirar a partir de hoje civis de Mariupol, o que acontece pela primeira vez desde sábado, indicou o Governo ucraniano.

“Conseguimos chegar a um acordo preliminar [com os russos] sobre um corredor humanitário para mulheres, crianças e idosos”, escreveu hoje a vice-primeira-ministra ucraniana, Iryna Verechtchuk, na plataforma de mensagens Telegram.

Nos últimos três dias, nenhum corredor humanitário foi aberto, nem naquela cidade nem em outras partes do leste do país, por falta de garantias de segurança, segundo Vereshchuk.

“Dada a situação humanitária catastrófica, vamos concentrar os nossos esforços na retirada das pessoas”, disse a vice-primeira-ministra ucraniana, Iryna Vereshchuk.

De acordo com fontes locais, está previsto o transporte de cerca de 6.000 pessoas, esperando-se a chegada de 90 autocarros ao longo do dia de hoje.

O autarca de Mariúpol, Vadym Boishenko, que já está fora da cidade, estima que cerca de 100 mil civis permaneçam na cidade portuária sitiada, que antes do início da invasão tinha meio milhão de habitantes.

A Rússia fez hoje novo ultimato às forças ucranianas estacionadas na fábrica Azovstal, em Mariupol, para largarem as armas, depois de nenhum dos elementos se ter rendido nas duas horas estabelecidas por Moscovo na terça-feira.

Na fábrica está a última resistência das tropas ucranianas, em número indeterminado, mas estimado entre 2.000 e 2.500.

Segundo fontes ucranianas, milhares de civis estão também refugiados na fábrica.





Notícias relacionadas


Scroll Up