Fotografia: Avelino Lima

Procissão da Burrinha enriquece Semana Santa com cortejo de mais de 1000 pessoas

Cortejo Bíblico “Vós Sereis o Meu Povo” sai hoje às ruas, depois de três anos de interregno

Carla Esteves
13 Abr 2022

Será, no mínimo, um regresso, muito ansiado por bracarenses e turistas, que há três anos não vêem sair de portas a Procissão da Burrinha, uma das  aguardadas da Semana Santa .

Considerada uma “Catequese ao Vivo” a Procissão da Burrinha contará, este ano, com a participação de mais de um milhar de pessoas, entre figurantes e bandas musicais, que querem fazer deste regresso um momento para ficar na memória das dezenas de milhares de pessoas que anualmente assistem a este cortejo bíblico inserido na Semana Santa de Braga.

Ricardo Silva, presidente da Junta de Freguesia de São Victor, uma das entidades organizadoras da Procissão da Burrinha, revelou ao Diário do Minho que «tudo está a postos para o grande dia», e que a preparação tem decorrido com muita dedicação, mas também ainda com muita cautela, uma vez que o quadro pandémico, que impediu a realização nos últimos dois anos, ainda não está completamente afastado.

«Três anos sem sair à rua tiveram dois efeitos distintos nos figurantes. Por um lado, há os que se sentem agora constrangidos em participar, ou que sentem que não será o mesmo, passados três anos. Por outro, tivemos uma subida exponencial de pedidos de participação por parte das crianças», contou Ricardo Silva, deixando aos indecisos o alerta de que «esta é uma procissão de todos e com todos, um desfile que conta uma história e que beneficia de uma componente muito especial, que é o facto de ser a procissão mais extensa da Semana Santa e a mais participada na sua composição».

Mais de 10 

mil livrinhos

O autarca de S. Victor vinca que se parte da atratividade da Procissão do Enterro do Senhor, na Sexta-feira Santa, reside, em parte, no seu ambiente sombrio e lúgubre, na ausência de luz e nos diversos sinais de luto, a magia da procissão da burrinha se prende com a animação, a moldura humana e, sobretudo, a mensagem que se pretende transmitir.

«Queremos que as pessoas se centrem não só na imagem da Burrinha, que é o centro do cortejo biblíco, mas na mensagem que ela pretende transmitir, por isso, voltámos a imprimir este ano cerca de 10 mil livrinhos explicativos que os Escuteiros de S. Victor vão distribuir ao público durante a procissão», contou, vincando que continuará a aposta significativa nas novas tecnologias , podendo a aexplicação do cortejo ser igualmente consultada na APP.

Estes instrumentos ajudarão a Procissão da Burrinha a cumprir a difícil missão de contar mais de mil anos de história em 45 minutos de cortejo bíblico.

Este ano entre os 24 quadros bíblicos prontos a desfilar, Ricardo Silva destaca a estreia dio quadro da senhora das Angústias, que estava prevista para 2019, e que não se chegou a concretizar, e que remete o cortejo para as suas origens, estabelecendo uma ponte entre a atual Procissão da Burrinha e o passado, nomeadamente com o século XVIII.

«Procuramos estabelecer um cruzamento  entre a atualidade e a evocação da procissão de Nossa Senhora das Angústias que decorreia na freguesia desde a segunda metade do século XVIII e que integrava então a imagem de Nossa Senhora montada numa burrinha», contou, explicando que a imagem de Nossa senhora das Angústias não sairá da igreja, mas antes será representada por figurantes».

 A saída do primeiro quadro da Procissão da Burrinha está marcada para as 21h00 de hoje e a do último para as 21h30, numa organização que se pretende “cronometrada ao minuto” para que o resultado seja excelente.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up