Fotografia: Avelino Lima

Ocupação hoteleira na Semana Santa ronda os 85% e deverá crescer nos próximos dias

O pico de afluência turística deverá acontecer quinta, sexta e sábado, devendo alcançar os números de 2019

Carla Esteves
12 Abr 2022

Há muito aguardada pelos bracarenses, pelos turistas e pelos agentes turísticos da região, a Semana Santa de Braga 2022 marca o regresso às tradicionais celebrações multisseculares na Cidade dos Arcebispos, mas também à enorme afluência turística que a capital minhota regista nesta época do ano, e que se traduz num claro investimento na economia.

Num período que se espera que contribua em definitivo para o regresso em pleno ao “normal” pulsar turístico de Braga, os principais hoteis da cidade apresentavam, segunda-feira, uma ocupação na ordem dos 85%  acreditando-se que alcançará o pico, na quinta, sexta-feira e sábado, principais dias das Solenidades da Semana Sousa, podendo nessa altura alcançar os 90%.

Marco Sousa, delegado da Entidade Regional de Turismo Porto e Norte de Portugal, disse ao Diário do Minho que «tudo indica que venham a ser alcançados os números registados em 2019», quando ainda não havia pandemia, mas a meteorologia pode ser determinante neste processo.

«O sol é sempre uma fator fundamental para conseguirmos captar o maior número possível de turistas e fazê-los permanecer na cidade o maior número de dias possível para assistir aos principais momentos do programa, sobretudo as procissões», afirmou, sublinhando que «este é um regresso muito ansiado depois de dois anos muito difíceis para o setor da hotelaria e restauração e tudo indica que haverá muitas reservas de última hora».

Marco Sousa salienta que o grande objetivo da Porto e Norte de Portugal tem sido conseguir prolongar a estadia em Braga o máximo de tempo possível, uma aposta que tem passado também pelo crescimento e diversificação do Programa das Solenidades da Semana Santa de Braga, que inclui  eventos de cariz religioso, cultural (concertos, espetáculos e exposições) e turístico (pontos de interesse, património, gastronomia e alojamentos).

Segundo Marco Sousa, neste momento encontram-se em Braga muitos turistas portugueses, demonstrando a força da retoma do mercado nacional, logo seguidos dos espanhóis e dos franceses.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up