Fotografia: DR

“Monstros Fantásticos: Os Segredos de Dumbledore” estreia hoje em Portugal

O terceiro filme da saga apresenta-se com uma história mais consistente e ganha com a substituição de Johnny Depp por Mads Mikkelsen, que agora interpreta o vilão Gellert Grindelwald.

Redação / Lusa
8 Abr 2022

No novo filme “Monstros Fantásticos: Os Segredos de Dumbledore”, o grande feiticeiro do mundo mágico, interpretado por Jude Law, “enfrenta o passado e enfrenta-se a si próprio, a sua culpa”, disse o ator na sessão de apresentação, em Los Angeles.

“Não é um processo de mudança, é um processo de regressão”, afirmou Law. “Dei um passo atrás e compreendi que ele não é o Dumbledore completamente formado dos filmes Harry Potter. É um homem que ainda está a encontrar o seu caminho, a confrontar os seus demónios”.

O ator disse que um dos grandes apelos de interpretar o grande feiticeiro na sua juventude foi a oportunidade de preencher lacunas. “Há tanto neste personagem para extrair e investigar, como ator”, disse Jude Law. “E isso é antes de chegarmos a este mundo extraordinário de magia”.

O terceiro filme da saga apresenta-se com uma história mais consistente e ganha com a substituição de Johnny Depp por Mads Mikkelsen, que agora interpreta o vilão Gellert Grindelwald.

“Ninguém na história começa a dizer que vai ser o mau da fita”, referiu Mikkelsen na conferência de apresentação do filme. “Temos de perceber qual é a sua missão, o seu objetivo, porque é que ele está a tentar tornar o mundo melhor daquela maneira”.

A forma como Mikkelsen molda Grindelwald é mais convincente e isso torna-o mais assustador. “Ele está muito ligado ao Dumbledore”, disse o ator. “Eles começaram com um objetivo comum e depois as coisas ficaram confusas. As formas de chegar ao objetivo são diferentes do que eles imaginaram”.

Além de levantar o véu sobre a natureza misteriosa da ligação entre Albus Dumbledore e Gellert Grindelwald, o filme também mostra uma evolução entre o grande feiticeiro e Newt Scamander (interpretado por Eddie Redmayne).

“O que gosto é que tem a complexidade de uma relação entre mestre e aprendiz, mas evolui nos filmes para se tornar quase fraterna”, considerou Eddie Redmayne. “Há um momento neste filme em que Newt vê a vulnerabilidade em Dumbledore e tenta até passar-lhe alguma sabedoria”.

Newt, sendo um feiticeiro introvertido que se sente mais confortável ao pé das suas criaturas fantásticas, tem também um potencial de liderança que é identificado por Dumbledore. “O que adoro neste filme é que é uma história de assalto à feiticeiro, um grupo de forasteiros que se juntam com um líder não convencional”.

A aventura inclui momentos cómicos, como a dança de caranguejo que Newt (Eddie Redmayne) e Theseus Scamander (Callum Turner) fazem para escapar de uma situação altamente volátil num labirinto de grutas.

Com o regresso de Queenie (Alison Sudol), Bunty Broadacre (Victoria Yates) e Tina Goldstein (Katherine Waterston), o novo título introduz também a personagem feminina de Eulalie Hicks (Jessica Williams), que terá um papel fundamental na luta contra Grindelwald.

“Ela é uma bruxa brilhante”, disse Williams na conferência. “É boa a perscrutar o coração das pessoas”, continuou. “E muito boa em magia defensiva”.

Há novos personagens e novos locais, como frisou o produtor Tim Lewis. Na terceira iteração da saga, os produtores quiseram “abrir o mundo mágico e ir para áreas completamente novas”, o que inclui filmagens na China, Alemanha e Butão.

“Queríamos que isto fosse emotivo, agradável”, afirmou o realizador, David Yates. Que fosse “um mimo” para os fãs.

“Monstros Fantásticos: Os Segredos de Dumbledore” estreia-se hoje em Portugal e, a 15 de abril, nos Estados Unidos.





Notícias relacionadas


Scroll Up