Fotografia: DR

Associação de Viana do Castelo quer barcos de pesca lúdica fora do cais de pescadores

“Açambarcam os nossos lugares de atracagem”, diz o presidente da associação.

Redação/Lusa
7 Abr 2022

O presidente associação de pescadores Ribeirinha de Viana, António Coimbra, exigiu hoje que a Docapesca tome medidas para que as embarcações de pesca lúdica deixem de “açambarcar” o cais de atracagem dos barcos de pesca tradicional.

“A Docapesca ficou de afixar no cais um aviso aos proprietários de barcos de pesca lúdica, dando-lhes um prazo de 30 dias para que saíssem e se instalassem na marina construída para essas embarcações, a jusante da ponte Eiffel e isso não aconteceu”, afirmou António Coimbra.

Em declarações à agência Lusa, o presidente da associação de pescadores, recentemente criada, adiantou que “cada vez são mais as embarcações de pesca lúdica atracadas no cais dos cerca de 50 pescadores”.

“Açambarcam os nossos lugares de atracagem. Este é um cais para a pesca artesanal e estas plataformas foram construídas para pesca artesanal. Não se compreende como é que as embarcações de pesca lúdica, cerca de meia centena, continuam aqui”, sustentou, referindo-se ao cais situado na ribeira da cidade.

Em resposta a um pedido de esclarecimento, por escrito, enviado pela agência Lusa, a Docapesca disse “ter conhecimento da situação reportada, tendo tentado dialogar com os proprietários das embarcações nos últimos meses, alertando para a necessidade de não ocuparem o espaço destinado às embarcações de pesca”.

“Esgotadas estas tentativas, a Docapesca já previa proceder à publicação nos próximos dias de um edital, onde se estabelecerá um prazo para a remoção das embarcações de pesca lúdica, bem como as medidas futuras em caso de incumprimento”, refere a empresa.

A Docapesca adianta que “continuará a acompanhar os desenvolvimentos desta situação, tendo sempre como objetivo urgente para a melhor sua resolução”.

Segundo o presidente da associação Ribeirinha de Viana, “os barcos de pesca lúdica foram encaminhados para o cais de pesca artesanal, a título provisório, enquanto era construída uma nova marina para suas as embarcações, a jusante da ponte Eiffel”.

“A marina está pronta há muito, mas os proprietários de barcos de pesca lúdica continuam a atracar no cais dos pescadores, retirando-lhes espaço de atracagem”, queixou-se.

Segundo António Coimbra, “os proprietários dos barcos de pesca lúdica não querem atracar na marina que lhes está destinada por terem de pagar uma mensalidade, enquanto no cais da pesca artesanal não pagam nada”.

“Não temos nada contra as embarcações de pesca lúdica. A questão é estarem as coisas nos seus lugares. Esta está preparada para a pesca artesanal. Temos de ter as plataformas livres. Há barcos de pesca artesanal que pertencem a homens idosos e que têm dificuldade em encontrar lugar para atracar e sair em segurança”.

O responsável adiantou que a associação “tudo fará” para resolver o problema.

“Temos cais suficiente para as embarcações de pesca artesanal. As embarcações de pesca lúdica têm outro local e abrigo para estarem seguras e continuam a vir para aqui a usurpar o local dos outros”, rematou.





Notícias relacionadas


Scroll Up