Fotografia: Avelino Lima

Transporte rápido vai arrancar em três linhas de grande procura

Projeto do BRT prevê criação de “Anel da Mobilidade” entre Ferreiros e Gualtar.

Joaquim Martins Fernandes
3 Abr 2022

A Câmara Municipal de Braga vai anular a adjudicação de três empreitadas no domínio da mobilidade urbana e que implicavam a realização de investimentos na casa dos 2 milhões 257 mil 980 euros.

A decisão de revogar as decisões que tinham sido tomadas em 2021, no âmbito do projeto “Eu já passo aqui”, vai ser tomada na reunião de vereação de amanhã, alegando a maioria que governa o Município de Braga que a desistência das obras é motivada pela criação de linhas dedicadas a autocarros de circulação rápida, denominados por “BRT – Bus Rapid Transit” ou “Metrobus”.

«Em parceria com a empresa municipal Transportes Urbanos de Braga, o Município de Braga está a desenvolver os estudos necessários à concretização do BRT, estando a esta data previstos três traçados para 3 linhas de grande procura por transporte público coletivo», referem as propostas a submeter ao Executivo Municipal.

Os documentos validados pelo presidente Ricardo Rio sublinham que «este novo projeto, a ser financiado pelo Portugal 2030, introduz alterações significativas na gestão das oportunidades de intervenção na cidade, no que à mobilidade concerne», o que «obriga a uma reflexão sobre a melhor gestão do erário público».

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up