Fotografia: DM

Encenação da Paixão de Cristo dá originalidade aos Passos de Celeirós

Multidão assistiu à Procissão do Senhor dos Passos de Celeirós

José Carlos Ferreira
3 Abr 2022

A Procissão do Senhor dos Passos de Celeirós distingue-se de todas as outras que se realizam no arciprestado de Braga por conter três momentos de encenação da Paixão de Cristo, envolvendo cerca de 70 figurantes pertencentes à freguesia.
Para o pároco de Celeirós, isto é, precisamente, o que dá originalidade a esta procissão, fazendo com que não seja mais uma neste território.

As ruas de Celeirós voltaram hoje a encher-se de fiéis que testemunharam o regresso da Procissão do Senhor dos Passos, que tem aqui uma originalidade que a distingue de todas as outras procissões.

O cónego Luís Miguel Figueiredo, a quem coube o sermão do encontro na Procissão do Senhor dos Passos de Celeirós, levou todos os presentes a olhar para este encontro entre a Mãe e o Filho pela perspetiva de Jesus.

«Quando temos Cristo a olhar para Maria, podemo-nos focar nas dores de uma mãe. É um olhar legítimo e válido. Olhar até que ponto aquela Mulher vê o seu único filho a ser entregue à morte. Olhando desta forma é uma cena que nos comove é um gesto que nos enche de compaixão», disse. Contudo, acrescentou, esta visão pode não chegar para todo este momento tão doloroso. «Vamos olhar no sentido contrário. Não Maria a olhar para Cristo, mas Cristo a olhar para Maria. E, quando Cristo olha para Maria , é Deus que olha para a humanidade. É Deus que assume as nossas dores por amor da humanidade», sustentou.

 





Notícias relacionadas


Scroll Up