Fotografia: DM

Jovens discutem em Braga medidas para combater a desinformação

Sessão Distrital do Parlamento dos Jovens (ensino Secundário) está a decorrer no Centro de Juventude de Braga.

Jorge Oliveira
29 Mar 2022

O Auditório do Centro de Juventude de Braga está transformado hoje num autêntico parlamento de jovens.

Ao longo do dia decorre a sessão distrital para aprovação do projeto de recomendação e a eleição dos “deputados” jovens que vão representar o Distrito na sessão nacional do Programa do Parlamento dos Jovens (do ensino Secundário), que irá realizar-se na Assembleia da República, em finais de maio, com o tema “Fake news: o impacto da desinformação na democracia”.

A sessão conta com a participação de 87 jovens, representantes de 29 escolas secundárias do distrito de Braga com propostas para combater a desinformação num mundo onde proliferam  notícias falsas (fake news)

Na abertura, o diretor Regional do Instituto Português do Desporto e da Juventude, pediu aos jovens, enquanto «construtores de um futuro mais livre, mais democrático», que sejam críticos, não aceitem de forma leve aquilo que lêem ou o que ouvem, que saibam distinguir aquilo que é informação credível de outra informação, que cruzem a informação.

«Estou certo de que com a vossa capacidade de inovação, com a vossa irreverência saberão construir hoje um futuro mais democrático, um futuro mais livre para todos nós», disse Vítor Dias.

O dirigente acredita que do círculo de Braga vão sair «boas medidas» para a sessão nacional do Parlamento dos Jovens.

 Vítor Dias referiu que a questão das fake news e o impaco da desinformação na democracia é um tema «muito importante, muito pertinente e atual».

«Não poderíamos ter tema mais pertinente e atual do que este. Todos sabemos, no dia a dia, o que está a acontecer pelo mundo fora, e em particular na Ucrânia a ser invadida por um outro país e a desinformação que isso tem acarretado nomeadamente na Rússia e o impacto que isso está a ter», considerou.

A sessão contou também com a presença da presidente da Assembleia Municipal de Braga, Hortense Santos, que destacou a importância deste programa para a formação de «jovens ativos, interessados e com vontade de fazer, de construir, de preparar a sociedade».

Hortense Santos lembrou que muitos dos deputados da Assembleia Municipal de Braga e também da Assembleia da República passaram, enquanto estudantes, pelo Parlamento dos Jovens.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up