Fotografia: DR

Heineken anuncia que vai deixar os seus negócios na Rússia

O grupo garantiu o pagamento dos salários dos seus 1.800 funcionários na Rússia até ao final de 2022.

Redação/Lusa
28 Mar 2022

A produtora de cervejas holandesa Heineken anunciou hoje que vai deixar a Rússia, onde tem 1.800 funcionários, devido à invasão da Ucrânia.

“Estamos a transferir os nossos negócios para um novo proprietário, em total conformidade com as leis internacionais e locais”, Refere fonte da empresa em comunicado.

A empresa já tinha anunciado em 09 de março a cessação da produção e venda das suas bebidas na Rússia.

O grupo garantiu o pagamento dos salários dos seus 1.800 funcionários na Rússia até ao final de 2022.

Fundada no século XIX, em Amsterdão, a Heineken produz e vende mais de 300 marcas de cerveja e sidra, incluindo Heineken, Strongbow e Amstel, e emprega mais de 85.000 pessoas em todo o mundo.

Centenas de empresas e grupos internacionais anunciaram nas últimas semanas, algumas sob pressão, a suspensão das suas atividades na Rússia ou sua retirada gradual do país devido à invasão da Ucrânia.

Na semana passada, o Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, numa mensagem ao Parlamento francês, pediu às empresas francesas estabelecidas na Rússia que parassem de apoiar a “máquina de guerra” russa e deixassem este país, citando a Renault, a Auchan e a Leroy Merlin.

A Auchan, que emprega 30.000 pessoas na Rússia, anunciou que manterá as suas atividades no país, citando em particular a necessidade de apoiar o poder de compra dos russos.





Notícias relacionadas


Scroll Up