Fotografia: DM

Passos de Figueiredo ensinam a amar e servir sem pedir nada em troca

Um dos pontos mais marcantes foi o encontro de Jesus e Maria

Carla Esteves
27 Mar 2022

Cerca de duas entenas de figurantes integraram, hoje à tarde, a majestosa Procissão em Honra do Senhor dos Passos, em Figueiredo, Braga, que após um interregno causado pela pandemia, voltou a atrair devotos de várias paróquias da cidade, que acompanharam em respeitoso silêncio os passos que marcaram a paixão e sofrimento do Senhor.  Um dos pontos mais marcantes da procissão foi o Sermão do Encontro, pelo pregador José António, que deixou clara a mensagem que «seguir o  Senhor dos Passos é aprender uma forma de amar e servir sem pedir nada em troca».

Perante um auditório em absoluto silêncio, apesar do sol e do calor que caracterizava a tarde, o pregador apelou aos presentes que estejam atentos, que não sejam os primeiros a apontar defeitos e a condenar os outros.

«Jesus está a caminhar connosco durante a nossa vida, à semelhança do  percurso desta Procissão em Honra do Senhor dos Passos, e interpela-nos para que sejamos capazes de perdoar os que nos fizeram mal», afirmou, acrescentando que «nenhum pecador é acusado por Jesus».

Antes do momento solene do encontro entre Jesus e Maria Sua Mãe, o pregador enfatizou o Amor e coragem de Nossa Senhora, apesar da visível dor pelo Seu Filho. Chamou ainda a atenção para os momentos de solidariedade que marcaram o caminho de dor do Senhor, nomeadamente quando Madalena lhe perfuma os pés e os enxuga com os seus cabelos, num pedido de perdão pelas suas faltas, ou Verónica lhe seca as lágrimas, imprimindo no seu pano a marca do rosto do Senhor.

O presidente da Junta de Freguesia de Figueiredo, Marco Oliveira, afirmou que «havia uma grande ansiedade da população, da Junta de Freguesia e da Paróquia em retomar este momento religioso, que é um evento singular na zona da Veiga de Penso».

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up