Fotografia: Fox News

Repórter de imagem da Fox News morre em ataque russo

O carro em que viajava com outro jornalista foi atingido a tiro.

Redação/Lusa
15 Mar 2022

O repórter de imagem da estação norte-americana de televisão Fox News Pierre Zakrzewski foi morto na Ucrânia quando o carro em que viajava com o jornalista Benjamin Hall foi atingido a tiro, anunciou hoje a empresa.

Benjamim Hall ficou ferido no acidente, que aconteceu na segunda-feira, e está hospitalizado, acrescentou a rede de canais de televisão.

O incidente aconteceu quando os jornalistas estavam em Horenka, nos arredores de Kiev, a recolher informação.

Zakrzewski, de 52 anos, cobriu conflitos no Iraque, Afeganistão e Síria para a Fox News, referiu a presidente da empresa, Suzanne Scott, num memorando enviado aos funcionários da Fox.

“A sua paixão e talento como jornalista eram incomparáveis”, acrescentou, garantindo que a notícia causa “grande tristeza e pesar”.

Zakrzewski é o segundo jornalista morto na Ucrânia em dois dias, depois de Brent Renaud, também veterano de cobertura noticiosa de guerras e que estava a filmar um documentário naquele país, ter morrido no domingo quando forças russas dispararam contra o carro em que viajava.

Desde o início da invasão da Rússia à Ucrânia, a 24 de fevereiro, pelo menos outros dois jornalistas morreram e mais de 30 ficaram feridos, segundo avançou hoje a comissária do parlamento ucraniano para os direitos humanos, Lyudmyla Denisova.

De acordo com uma publicação feita por Lyudmyla Denisova na rede social Telegram, os outros dois repórteres eram os ucranianos Yevgeny Sakoun e Viktor Doudar.

A comissária do parlamento da Ucrânia para os direitos humanos denunciou também os casos de jornalistas da Suíça, da República Checa, da Dinamarca e do Reino Unido feridos pelo que considerou ser “fogo inimigo intencional”.

“O inimigo [os militares da Rússia] também está a tentar destruir a infraestrutura audiovisual ucraniana”, acrescentou Denisova, exemplificando com os tiroteios contra as torres de estações de televisão em Liev, Lutsk e Rivne – este último, na segunda-feira, já provocou a morte a 19 pessoas.

Entretanto, o jornalista ucraniano Oleg Baturin, que estava a noticiar os desenvolvimentos da guerra a partir da região de Kherson, parcialmente ocupada pelos militares russos, está desaparecido há três dias e várias organizações não-governamentais denunciaram que poderá estar em causa a sua detenção.

O jornalista do diário Novy Den desapareceu na localidade de Kakhova, de acordo com um comunicado conjunto da Federação Internacional de Direitos Humanos e da Organização Mundial contra a Tortura.





Notícias relacionadas


Scroll Up