Fotografia: DR

‘Domus’ da Escola Velha da Sé é sítio de interesse municipal

Antiga Escola da Sé é a atual sede da União de Freguesias da Sé, Cividade e Maximinos.

Redação/Lusa
14 Mar 2022

A ‘Domus’ da Escola Velha da Sé, em Braga, foi classificada como sítio de interesse municipal, segundo edital hoje publicado em Diário da República.

O edital, assinado pelo presidente da Câmara de Braga, Ricardo Rio, refere que aquele imóvel se encontra inserido em Zona de Proteção Arqueológica Urbana e integrado quer na Zona Especial de Proteção do Cruzeiro do Campo das Carvalheiras, classificado como Monumento Nacional, quer na Zona Geral de Proteção da Casa Oitocentista/Casa Pimentel, classificada como Imóvel de Interesse Público.

Por isso, “não se justifica a criação de uma zona especial de proteção” para a ‘Domus’.

Trata-se da antiga Escola da Sé, atual sede da União de Freguesias da Sé, Cividade e Maximinos.

As ruínas da antiga casa romana foram escavadas e estudadas, entre 1998 e 2003, no contexto de um projeto, promovido pelo Gabinete de Arqueologia da Câmara de Braga, de reformulação do programa arquitetónico do interior do edifício.

“Esta intervenção arqueológica identifica vestígios correspondentes a parte de uma casa romana, bem como estruturas associadas ao sistema defensivo medieval da cidade de Braga”, refere o município.

Pela interpretação dos vestígios arqueológicos, conclui-se que a casa romana (Domus) teve origem no século I, sofrendo entre o século III e inícios do século IV “profundas alterações”, sendo então dotada de um balneário privado, novos compartimentos e corredores, que foram revestidos com mosaicos de composição geométrica.

O atual espaço arqueológico musealizado encontra-se preparado para receber visitas, dispondo de meios interativos para contar a história da evolução arquitetónica do sítio.

 





Notícias relacionadas


Scroll Up