Fotografia: Sérgio Freitas/CMB

Index é «evento ambicioso» que vai dar visibilidade internacional a Braga na área das ‘media arts’

Bienal de arte e tecnologia, a decorrer em maio, propõe-se a explorar a noção de “Superfície”, contando com mais de 30 autorias nacionais e internacionais.

Rita Cunha
9 Mar 2022

A cidade de Braga acolhe, de 12 a 22 de maio, a primeira edição do Index, uma nova bienal de arte e tecnologia que explora a noção de “Superfície” e que conta com a participação de mais de 30 autorias nacionais e internacionais. Trata-se, na ótica do presidente da Câmara Municipal de Braga, de um «evento ambicioso» que vai dar «visibilidade internacional» à cidade na área das ‘media arts’.

958 dias separam aquela que foi a edição zero desta primeira. Pelo meio, uma pandemia e uma crise geopolítica. Explorar práticas artísticas e pensamento crítico nas quais a tecnologia assuma um papel central é o objetivo maior deste novo projeto. Plataformas visuais ou entidades tácteis, fronteiras ou interfaces, zonas de emergência ou extração, as superfícies são tudo isto e também metáforas poderosas para as práticas artísticas relativas à tecnologia, levantando questões que necessitam de ser urgentemente abordadas.

Para Ricardo Rio, esta edição surge «com todo o alcance e ambição que ela representa». Contando com um investimento da parte do município na ordem dos 200 mil euros, este projeto vem «dar corpo a duas dimensões fundamentais» da estratégia municipal: a estratégia cultural Braga 2030 e a continuidade do projeto Braga Cidade Criativa UNESCO na área das ‘media arts’.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up