Fotografia: DR

Governo lança plataforma digital para apoiar refugiados e ajuda humanitária

Serviço congrega todas as respostas e ações em curso tendo em vista o apoio a pessoas deslocadas da Ucrânia, dentro e fora de Portugal.

Redação/Lusa
9 Mar 2022

O Governo lançou hoje a plataforma digital “Portugal for Ukraine”, que junta todas as respostas e ações de apoio a pessoas que saíram da Ucrânia em consequência da situação de guerra e de ajuda humanitária.

A plataforma, disponível no endereço PortugalforUkraine.gov.pt, visa congregar “todas as respostas e ações em curso tendo em vista o apoio a pessoas deslocadas da Ucrânia, dentro e fora de Portugal, nas dimensões de ação internacional, do envio de apoio humanitário e da integração e acolhimento em Portugal”, avança um comunicado do gabinete da ministra de Estado e da Presidência.

Segundo o gabinete de Mariana Viera da Silva, esta plataforma contém informação e contactos para apoio relacionados com a vinda para Portugal, transporte, documentação, emprego e formação, educação, saúde e habitação.

A plataforma vai permitir a consulta das várias iniciativas que estão a ser levadas a cabo pelas diferentes áreas governativas com responsabilidade em matéria de acolhimento e integração, facilitando o acesso à informação por parte do utilizador e que possam preparar a sua viagem até Portugal.

O gabinete da ministra de Estado e da Presidência refere também que “Portugal for Ukraine” inclui “uma lista de perguntas e respostas que contêm informações gerais e informação útil sobre a vinda para Portugal e o acolhimento no país, incluindo um questionário automatizado que direciona o pedido/oferta de ajuda para a entidade melhor preparada para dar resposta ao problema apresentado”.

Os conteúdos encontram-se disponíveis em português e inglês, devendo nos próximos dias existir igualmente uma versão em ucraniano.

Na nota do gabinete de Mariana Vieira da Silva indica ainda que Portugal encontra-se disponível para acolher todos cidadãos deslocados da Ucrânia que necessitem de proteção internacional e que cheguem a território nacional.





Notícias relacionadas


Scroll Up