Fotografia: AFP

Tropas russas invadem Ucrânia

A Ucrânia relata pelo menos oito mortes e mais de uma dezena de feridos nas primeiras horas da invasão russa.

Redação/Lusa
24 Fev 2022

Tropas russas entraram na região ucraniana de Kherson, na fronteira com a península da Crimeia, anexada ilegalmente pela Rússia em 2014, informou hoje a Guarda de Fronteira ucraniana.

“Atualmente, observa-se o movimento de equipamentos militares pela península a partir da fronteira administrativa”, revelou a Guarda de Fronteira ucraniana, em comunicado.

O serviço de fronteiras publicou ainda um vídeo em que se pode ver a passagem de viaturas blindadas, tanques e camiões militares pelo posto fronteiriço.

A entidade observou que as forças russas usam artilharia e armas pesadas contra unidades de fronteira nas províncias ucranianas de Lugansk, Sumi, Kharkov, Chernigov e Zhitomir.

A Ucrânia relata pelo menos oito mortes e mais de uma dezena de feridos nas primeiras horas da invasão russa ao país, segundo o assessor do Ministério do Interior, Anton Gueraschenko.

“Uma mulher e uma criança ficaram feridas na região de Konopot, onde um carro se incendiou. Na cidade de Podolsk, na região de Odessa, há sete mortos, sete feridos e 19 desaparecidos como resultado do bombardeio. Na cidade de Mariupol, região de Donetsk, há um morto e dois feridos”, relatou o responsável, na plataforma Telegram.

A Rússia iniciou hoje uma operação militar contra a Ucrânia, com o suposto objetivo de pacificar o conflito armado que ocorre no leste da Ucrânia desde 2014.


NATO convoca reunião de emergência para avaliar situação

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO) vai realizar hoje de manhã uma reunião de “emergência” ao nível dos embaixadores dos países membros para avaliar a invasão da Ucrânia.

O anúncio foi feito pelo porta-voz da NATO, que adiantou que as consequências do ataque serão discutidas na reunião.

O secretário-geral da organização, Jens Stoltenberg, está “a acompanhar a situação de perto” e dará “uma conferência de imprensa após a reunião”, disse.

Stoltenber já tinha condenado fortemente o ataque “imprudente e não provocado” da Rússia à Ucrânia, que considera pôr em risco “incontáveis vidas de civis”, e lamentou que Moscovo tenha escolhido o “caminho da agressão”.

O secretário-geral observou que “mais uma vez, apesar das repetidas advertências e incansáveis esforços para exercer a diplomacia”, a Rússia “escolheu o caminho da agressão contra um país soberano e independente”.

“É uma grave violação do direito internacional e uma séria ameaça à segurança euro-atlântica”, alertou.

Por todas essas razões, pediu à Rússia “que cesse imediatamente a sua ação militar e respeite a soberania e a integridade territorial da Ucrânia”, que é parceira, mas não membro da NATO.

Stoltenberg assegurou que a organização “fará todo o que for necessário para proteger e defender os aliados”.

O secretário-geral da NATO tinha um encontro marcado hoje de manhã com a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, mas foi cancelado.





Notícias relacionadas


Scroll Up