Fotografia: DR

Aumento de imigrantes a trabalhar em Cerveira dita ampliação de centro de qualificação

Centro começa a funcionar num novo espaço na próxima terça-feira, 1 de março.

Redação/Lusa
23 Fev 2022

O aumento de imigrantes a trabalhar na zona industrial de Vila Nova de Cerveira, levou a câmara local a ampliar o centro Qualifica que a partir de 01 de março começa a funcionar num novo espaço, foi hoje divulgado.

Em comunicado hoje enviado às redações, a Câmara de Vila Nova de Cerveira, no distrito de Viana do Castelo, adiantou que, atualmente, encontram-se a trabalhar na zona industrial de Campos “cerca de 60 imigrantes, oriundos de países como Bangladesh, India, Paquistão e Reino Unido”.

Aqueles trabalhadores “estão a aprender português, numa ação de integração social que começou com uma turma de 20 pessoas e que rapidamente foi alargada a três turmas, perspetivando-se um crescimento no futuro próximo”, motivado também por imigrantes que trabalham em concelhos vizinhos e que fazem formação em Vila Nova de Cerveira.

Além de “promover formações, desenvolver processos de reconhecimento, validação e certificação de competências e de garantir informação, orientação e encaminhamento profissional, o programa Qualifica tem uma grande especificidade no concelho que se prende com a comunidade de imigrantes a frequentar o curso de Português Língua de Acolhimento (PLA), nível A1 e A2”.

O centro Qualifica do agrupamento de escolas Muralhas do Minho, de Valença, começa a funcionar, nas instalações do Centro de Cultura de Campos, Vila Nova de Cerveira, no dia 01 de março para responder àquele aumento de procura, espoletada pela “crescente dinâmica” da zona industrial.

Aquele espaço de formação profissional funcionou até agora no Centro de Apoio às Empresas (CAE) situado na zona industrial de Campos, que “já não estava a garantir a logística necessária para fazer face ao número crescente de turmas e de pedidos de formações”.

A mudança para o novo espaço, foi formalizada na terça-feira, através de um protocolo de colaboração entre a câmara, o centro Qualifica, o Centro de Cultura de Campos e do presidente da União de Freguesias de Campos e Vila Meã.

O acordo “surge como resposta às reais necessidades de alargamento da oferta formativa e educativa potenciada pelo Centro Qualifica, permitindo acompanhar a intensa atividade laboral dos polos da zona industrial e impulsionar o bem-estar socioeconómico dos cerveirenses, residentes e daqueles que escolhem Vila Nova de Cerveira para viver e trabalhar”.

Segundo o autarca socialista, Rui Teixeira, citado na nota, “o envolvimento das quatro entidades em prol deste desafio é revelador da importância da aprendizagem ao longo da vida e vai auxiliar a melhoria das qualificações pessoais e profissionais, contribuindo decisivamente para a sua integração plena no mercado de trabalho, ascensão na carreira ou reconversão profissional, assegurando a valorização do desenvolvimento económico-social do concelho”.

“O CAE já não estava a garantir a logística necessária para fazer face ao número crescente de turmas e de pedidos de formações, pelo que encontramos no Centro de Cultura de Campos uma boa solução, corroborada pelo interesse e disponibilidade da sua direção”, sustentou o autarca.

O protocolo entra em vigor a 01 de março e tem uma duração de um ano, renovável por iguais períodos.





Notícias relacionadas


Scroll Up