Fotografia: Moreirense FC

Sá Pinto destaca reação do Moreirense «a todas as adversidades» ante FC Porto

«Já vimos de várias formas e feitios o lance do Yan, mas é fácil dizer que é falta sobre o Fábio Cardoso quando a imagem não o demonstra. Ele tropeça, porque o pé dele toca no gémeo e cai. Nem sequer tem a intenção de ir à bola, mas de obstruir o Yan, para que não lhe ganhasse na velocidade.
Depois, a falta é claramente dentro da área. Teria de ser penálti e expulsão do [Matheus] Uribe», destacou o adjunto de Sá Pinto.

Redação / Lusa
21 Fev 2022

O treinador Ricardo Sá Pinto destacou hoje a reação “com alma e coragem” do Moreirense a todas as adversidades” na derrota frente ao FC Porto (0-1), no domingo, em encontro da 23.ª jornada da I Liga de futebol.

“Parabéns aos jogadores pelo grande jogo que fizeram! Nunca desistiram e souberam reagir com alma e coragem a todas as adversidades que tiveram de enfrentar. Foi um resultado injusto e merecíamos todos muito mais, mas com este espírito de união, luta e de sacrifício iremos seguramente alcançar os nossos objetivos”, frisou numa mensagem publicada nas redes sociais, tal como vem sendo habitual após os jogos dos minhotos.

Ricardo Sá Pinto foi expulso pelo árbitro Luís Godinho após o final da partida, decidida com um golo solitário do brasileiro Evanilson, aos 40 minutos, tendo sido substituído na zona de entrevistas rápidas e na conferência de imprensa pelo seu adjunto Rui Mota.

“Obrigado a todos os nossos adeptos que mais uma vez nos apoiaram do início ao fim! Foco no próximo jogo: todos a Arouca!”, concluiu o treinador, que se envolveu numa altercação com Diamantino Figueiredo, técnico de guarda-redes do FC Porto, no relvado do Estádio Comendador Joaquim de Almeida Freitas, acabando ambos por ser expulsos.

O Moreirense, através de Rui Mota, técnico-adjunto de Sá Pinto, teceu, logo após a partida, duras criticas ao árbitro.

«A reação da equipa ao golo do FC Porto foi muitíssimo boa. De imediato, procurou dar reposta. Já vimos de várias formas e feitios o lance do Yan, mas é fácil dizer que é falta sobre o Fábio Cardoso quando a imagem não o demonstra. Ele tropeça, porque o pé dele toca no gémeo e cai. Nem sequer tem a intenção de ir à bola, mas de obstruir o Yan, para que não lhe ganhasse na velocidade.

Depois, a falta é claramente dentro da área. Teria de ser penálti e expulsão do [Matheus] Uribe. Obviamente, nunca vamos saber, mas provavelmente dava-nos o golo para irmos para o intervalo com um merecido empate. Estamos a falar de uma grande equipa do FC Porto, mas nós conseguimos pará-la do ponto de vista estratégico. Teve muito volume através daquilo que são faltas. Há que citar os critérios das faltas, que não foram iguais»





Notícias relacionadas


Scroll Up