Fotografia: DR

Águas do Norte vai investir 3,5 ME na remodelação de ETAR em Viana do Castelo

O prazo de execução da obra (sem incluir renovações) é de 910 dias.

Redação/Lusa
17 Fev 2022

A Águas do Norte abriu um concurso público, no valor de 3,5 milhões de euros, para a remodelação da Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) de Viana do Castelo – Cidade, segundo anúncio publicado hoje em Diário da República.

No anúncio, a entidade gestora do sistema multimunicipal de abastecimento de água e saneamento do Norte de Portugal explica que a intervenção “visa a remodelação da ETAR de Viana do Castelo – Cidade, intervindo nos órgãos, bem como remodelar e ampliar o edifício de exploração”.

O prazo de execução da obra (sem incluir renovações) é de 910 dias.

Segundo informação hoje fornecida à Lusa pela Águas do Norte, o subsistema de saneamento de Viana do Castelo serve as freguesias de Portuzelo, Outeiro, Perre, Meadela, Santa Maria Maior, Monserrate, Areosa e Carreço.

Este subsistema de saneamento é composto por uma ETAR, seis Estações Elevatórias (EE), nomeadamente na Meadela, Praça de Touros, 5 de Outubro, Praia Norte, Areosa, e Carreço, e um sistema intercetor que apresenta uma extensão de 17 quilómetros com diâmetros que variam entre os 125 milímetros (mm) e os 800 mm.

A “ETAR entrou em funcionamento em 1999 tendo sido alvo de intervenção de beneficiação/remodelação em 2008, num investimento que rondou os 1,7 milhões de euros, cofinanciados pelo Fundo de Coesão”.

A “instalação está dimensionada para 45.257 habitantes-equivalentes, possuindo uma capacidade máxima de tratamento de 8.580 m3/d”.

O “processo de tratamento para a ETAR recorre a lamas ativadas em arejamento convencional, com uma etapa final de desinfeção por radiação ultravioleta”.

A Águas do Norte é a concessionária do sistema multimunicipal de abastecimento de água e saneamento do Norte de Portugal e é responsável “pela captação, tratamento e abastecimento de água para consumo público e pela recolha, tratamento e rejeição de efluentes domésticos, urbanos e industriais e de efluentes provenientes de fossas séticas” de 63 municípios.

Tem também a exploração e gestão do sistema de águas da região do Noroeste, sendo responsável pela gestão em alta (prestada aos municípios) e em baixa (prestada aos utilizadores finais).

A empresa, que iniciou atividade em 2015, resultou da agregação das empresas Águas do Douro e Paiva, Águas do Noroeste, Águas de Trás-os-Montes e Alto Douro, e Simdouro – Saneamento do Grande Porto, integradas no grupo Águas de Portugal (AdP), detendo “a concessão por 30 anos da exploração e gestão do sistema multimunicipal de abastecimento de água e de saneamento do Norte de Portugal”.





Notícias relacionadas


Scroll Up