Fotografia: Avelino Lima

Atividades sensibilizam perto de 200 alunos para a importância da proteção da biodiversidade

O Dia Mundial das Zonas Húmidas foi assinalado em Braga numa ação conjunta do Centro Ciência Viva, o município e o Mosteiro de Tibães.

Rita Cunha
2 Fev 2022

Ao longo do dia de hoje, 190 alunos e uma dezena de professores estiveram envolvidos num conjunto de atividades que visaram alertar para a importância da proteção da biodiversidade.

As ações, no Dia Mundial das Zonas Húmidas, foram organizadas pelo Centro Ciência Viva de Braga em parceria com o município e o Mosteiro de Tibães, no âmbito do projeto ‘MedWet’, que visa a realização de campanhas de sensibilização e educação ambiental.

Divididos em três grupos, os alunos das escolas da Sé, Maximinos e Conservatório Calouste Gulbenkian participaram em atividades nos charcos do Mosteiro de Tibães e do Centro Ciência Viva, assim como na nascente do rio Este.

Para o vereador do Ambiente da Câmara Municipal de Braga, estas atividades visaram alertar a comunidade escolar para a importância da preservação da biodiversidade. Uma atividade cuja relevância se acentua numa altura em que o país atravessa um período de «seca acentuada».

Também João Paulo Vieira, diretor do Centro Ciência Viva de Braga, se mostrou preocupado com a seca que o país atravessa, a qual confere ainda mais urgência a estas atividades.

 

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up