Fotografia: Avelino Lima

Empresários do Minho pedem ao novo governo menos impostos e dinheiro fresco nas PME

Ricardo Costa, presidente da AEMinho e Rui Marques, diretor-geral da AE Braga, querem atenção às PME.

Francisco de Assis
1 Fev 2022

Os empresários do Minho saudaram a «estabilidade» que a maioria absoluta dada ao governo PS, nas Eleições Legislativas antecipadas, considerando que é um fator importante para as empresas e para a economia. Na conversa com o Diário do Minho, Ricardo Costa, presidente da Associação Empresarial do Minho (AEMinho); e Rui Marques, diretor-geral da Associação Empresarial de Braga (AEB) apontam como prioridades nas exigências ao Governo, o alívio da «sufocante» carga fiscal, a adaptação das regras do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), para que as Pequenas e Médias Empresas (PME), que são a maioria do tecido empresarial nacional e do Minho, possam beneficiar de «dinheiro fresco.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]

 





Notícias relacionadas


Scroll Up