Fotografia: DM

D. Jorge Ortiga incentiva a cuidar da Palavra

Arcebispo abriu III Encontro para Ministros da Palavra, no Auditório Vita, em Braga.

Jorge Oliveira
22 Jan 2022

O Arcebispo D. Jorge Ortiga incentivou hoje os Ministros da Palavra da Arquidiocese de Braga a cuidaram da Palavra de Deus e a difundi-la nas comunidades para que possa chegar a toda a sociedade.

«A Igreja Samaritana terá de estar em todos os ambientes e com objetivos diversificados. Queremos sobretudo que ela cuide da humanidade. Sabemos os efeitos que a Palavra pode ter cuidando a vida das pessoas. Só que, para isso, ela necessita de ser cuidada», disse.

O prelado falava na abertura do III Encontro Arquidiocesano para Ministros da Palavra, no Auditório Vita, que se realizou sob o lema “Cuidar da Palavra que cuida de nós”, inspirado no Plano Pastoral da Arquidiocese.

Admitindo que cuidar da Palavra «dá trabalho e torna-se exigente», D. Jorge Ortiga  convidou os participantes deste encontro de formação, essencialmente leitores, salmistas e admonitores da assembleia, a um «estudo cuidado» das Leituras para uma «plena compreensão» da Palavra do Senhor.

«Nós somos anunciadores com qualidade naquilo que dizemos e naquilo que fazemos e teremos que fazer com que dentro dos nossos templos a Palavra de Deus seja devidamente compreendida», disse, referindo que a Palavra não pode ser lida como uma notícia de jornal.

D. Jorge defendeu que a Igreja deve anunciar e colocar a Palavra de Deus «sem complexos nem medos», para que ela cuide da humanidade».

«Os males são muitos, ouvimos muitos discursos em muitas ocasiões, mas se nós não colocarmos a Palavra no coração da sociedade do mundo a sociedade irá perecendo, e nós temos a obrigação e o dever de cuidar desta humanidade que é nosso», indicou.

Organizado pelo Serviço de Ministérios Litúrgicos do Departamento Arquidiocesano para a Liturgia, o Encontro de Ministros da Palavra  contou com uma conferência sobre o tema “Cuidar da Palavra que cuida de nós” pelo padre Nuno Ventura, passionista, assim como com os contributos os cónegos Manuel Joaquim Costa e Hermenegildo Faria, que fizeram uma abordagem prática à orgânica dos lecionários e a alguns cuidados a ter na proclamação da Palavra.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up