Fotografia: DR

MAS diz que há «uma justiça para ricos e outra para pobres»

«No entanto, o verdadeiro problema está na impunidade de ricos e poderosos. Por isso o MAS defende a prisão e confisco dos bens de quem roubou e endividou o país», concluiu

Nuno Cerqueira
18 Jan 2022

A campanha do Movimento Alternativa Socialista (MAS) esteve hoje numa ação frente ao Banco de Portugal em Braga para denunciar aquilo que Vasco Santos, cabeça de lista por Braga, descreve como «uma justiça para ricos e outra para os pobres».

«A fuga do banqueiro João Rendeiro foi o último episódio de impunidade das  elites nacionais. Salgado também prepara um golpe semelhante, alegando demência para suspender o processo judicial de que é alvo. Estes casos contrastam com o homicídio do trabalhador ucraniano Ihor Homenyuk, violentamente agredido e morto no Aeroporto de Lisboa por três inspetores do SEF, ou com a morte do jovem são-tomense Danijoy, na cadeia de Lisboa, por causas alegadamente “desconhecidas”. Fica evidente  que a Justiça é particularmente permissiva com os ricos e poderosos, mas demasiado dura com os pobres, sobretudo, negros e imigrantes», referiu o candidato do MAS.

Segundo Vasco Santos, a extrema-direita alimenta-se «do descontentamento com a desigualdade e aponta responsabilidades aos mais desfavorecidos».

«No entanto, o verdadeiro problema está na impunidade de ricos e poderosos. Por isso o MAS defende a prisão e confisco dos bens de quem roubou e endividou o país», concluiu

Amanhã a comitiva de campanha do MAS estará na feira de Famalicão pelas  10h30 para contacto com a população.





Notícias relacionadas


Scroll Up