Fotografia: DR

Pandemia e exigência de teste levam a quebras acentuadas das reservas nos hotéis de Braga

Nos Hotéis do Bom Jesus, a lotação situa-se neste momento entre os 30 e os 40 por cento.

Rita Cunha
28 Dez 2021

Num ano normal e anterior à pandemia de covid-19, este período do final do ano seria de lotação quase completa em vários hotéis de Braga. Porém, e depois de um verão e outono promissores, o agravamento da situação epidemiológica deixou cair por terra um cenário que se perspetivava animador.

É nos hotéis das zonas mais urbanas que se notam as quebras acentuadas nas reservas. Em contraponto, os alojamentos locais, em zonas rurais, têm registado bastante procura. Enquanto que os primeiros têm taxas de ocupação a rondar os 30 por cento no norte do país, os segundos chegam aos 95 por cento uma vez que são muitos os que preferem sítios mais isolados.

No caso de Braga, os Hotéis do Bom Jesus, que por norma teriam cerca de 90 por cento da sua lotação ocupada para a noite de 31 de dezembro, o número baixou para entre os 30 e 40 por cento.

Ao Diário do Minho, Varico Pereira, administrador da Sociedade de Hotéis do Bom Jesus, deu nota de «alguma frustração» com estes números causados não só pelo receio das pessoas face à situação atual mas também à exigência de teste negativo à covid-19 na entrada dos restaurantes ou hotéis, o que levou a «vários cancelamentos» nos últimos dias.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up