Fotografia: DR

Agravamento da pandemia faz disparar pedidos de ajuda junto de instituições

As instituições alertam para um agravamento da situação social

Rita Cunha
26 Dez 2021

Ae a primeira vaga da pandemia de covid-19 já tinha feito “soar” o alarme no que respeita as carências económicas de muitas famílias, o agravamento e um retomar da situação que se verifica neste momento tem vindo a fazer disparar os pedidos de ajuda junto das instituições que apoiam carenciados. As mesmas alertam mesmo para o surgimento de cada vez mais casos de pessoas que, até à data, nunca tinham necessitado de apoios, muitas delas com emprego mas, ainda assim, sem um salário que lhes permita fazer face às despesas mensais.

«Estamos no limite da nossa capacidade», referiu Eva Ferreira, da Cáritas Arquidiocesana de Braga, sublinhando que a situação é «muito complicada». «Isto começou no início da pandemia, depois estabilizou e agora estamos a ter um aumento muito grande de procura. Já fizemos mais de 7300 atendimentos sociais e os pedidos não param de chegar», disse.
Segundo explicou, os problemas para pagar a habitação têm sido os mais frequentes devido ao aumento das rendas e ao fim das moratórias.

Ricardo Silva, presidente da Junta de S. Victor, tembém deu nota de um agravamento das famílias que vão sendo acompanhadas, sobretudo as que já eram carenciadas. «Notamos que para quem passa períodos de dificuldade a situação se tem agravado. Quem ficou desempregado deixou de pagar as contas e nem sempre os orçamentos familiares esticam para fazer face a todas as necessidades», disse.





Notícias relacionadas


Scroll Up