Fotografia: DR

Famalicão e Trofa unem esforços para recuperar e valorizar margens do Ave

Autarquias desenvolvem programa estratégico conjunto

R. de L.
5 Ago 2021

Os Municípios da Trofa e Vila Nova de Famalicão vão celebrar um protocolo de colaboração para a elaboração conjunta do programa estratégico para a recuperação e valorização das margens do rio Ave. A proposta foi aprovada, ontem, pelo executivo famalicense e prevê a elaboração de estudos técnicos que suportem uma candidatura supramunicipal a fundos comunitários.

Os concelhos de Vila Nova de Famalicão e Trofa estão unidos pelo curso natural do rio Ave. O principal elemento da paisagem comum e da biodiversidade vai unir também os Municípios dos dois lados do rio na elaboração do programa estratégico para a recuperação e valorização das suas margens. Tudo porque a concretização de projetos intermunicipais que promovam a valorização ambiental e paisagística de um território com relevante interesse natural e patrimonial, como é o caso, terá maiores probabilidades de financiamento comunitário.
«Há uma expectativa de um contexto comunitário futuro de apoios financeiros para intervenções ribeirinhas, mas para isso é preciso estudos, projetos e que haja percurso feito. No fundo, o que estamos a fazer é a habilitar as duas futuras câmaras municipais para que elas possam, tendo esta ferramenta, este enquadramento ao nível do planeamento, candidatar-se a esses mesmos apoios, porque tudo isso é uma janela enorme de oportunidades», explicou e suportou o presidente da Câmara de Famalicão, Paulo Cunha, ontem, no final da reunião do executivo, onde foi aprovada a proposta de celebração daquele protocolo.
Os Municípios da Trofa e Famalicão vão rubricar o protocolo de colaboração para a elaboração do programa estratégico para a recuperação e valorização das margens do rio Ave no próximo dia 12 deste mês, desejando que o documento «ajude muito» a que os dois concelhos possam aproveitar as oportunidades de aceder aos milhões de apoios comunitários destinados, na próxima década, ao património ambiental e ribeirinho.
O texto da proposta sublinha o «enorme potencial ambiental, patrimonial e turístico» do rio Ave para sublinhar a necessidade de «desenvolver uma estratégia conjunta e articulada para os projetos de intervenção nas suas margens, com a qual se pretende definir objetivos estratégicos, atividades e ações que potenciem a criação de um itinerário cultural, patrimonial, ambiental, turístico e social, que se consubstancie num grande parque periurbano». Na prática, o protocolo define que ambas as autarquias vão comparticipar o investimento de 72 mi euros para a elaboração técnica daquele programa estratégico, que deve contemplar um conjunto de projetos intermunicipais que promovam a valorização ambiental e paisagística do território comum com elevado interesse natural, patrimonial e turístico.
Simultaneamente, «queremos que o rio Ave seja uma forma para que Famalicão e a Trofa se abracem», sustentou Paulo Cunha, formulando o desejo de que «os povos dos dois concelhos estejam cada vez mais unidos». Uma das formas para fortalecer os laços comuns passa pela valorização das margens do Ave, designadamente, através da construção de novas pontes pedonais, recuperação e valorização de açudes, azenhas, moinhos e atravessamentos como a ponte de Penices ou da Lagoncinha, património arqueológico e arquitetónico classificado que o presidente da Câmara de Famalicão também deseja ver protegido e valorizado.
«A Ponte da Lagoncinha, além de atenção municipal, reclama também diligência da tutela em matéria do Património e Cultura. A ponte é muito mais que um monumento nacional, é um atravessamento essencial, porque na prática muita gente de Famalicão, Santo Tirso e Trofa usam esta ponte. O projeto anterior da alternativa à EN 14 contemplava uma solução para uma alternativa à Lagoncinha, mas o novo projeto não contempla essa solução alternativa. Temos reclamado junto da tutela uma solução alternativa à Lagoncinha, porque a sua proteção só acontecerá quando se tornar meramente pedonal», concluiu Paulo Cunha.





Notícias relacionadas


Scroll Up