Fotografia: DR

União das Misericórdias distinguida com o Prémio do Cidadão Europeu

Proposta partiu do eurodeputado José Manuel Fernandes.

Redação
8 Jul 2021

O Parlamento Europeu atribuiu o Prémio do Cidadão Europeu à União das Misericórdias Portuguesas (UMP) pelo seu trabalho no setor social e «importância crucial» no combate às consequências socioeconómicas da crise pandémica em Portugal, anunciou hoje a delegação do PSD no Parlamento Europeu.

A distinção, indicou a fonte, foi proposta pelo eurodeputado José Manuel Fernandes e acolhida pela Chancelaria para o Prémio do Cidadão Europeu, liderada pelo presidente do Parlamento Europeu. Na edição deste ano, a UMP foi a única entidade portuguesa distinguida.

Citado no comunicado, José Manuel Fernandes realça que este prémio «é o reconhecimento europeu ao trabalho notável e insubstituível que as Misericórdias portuguesas fazem no apoio social, na ajuda aos mais vulneráveis, na saúde, na defesa de valores europeus como a dignidade humana, a inclusão e a igualdade».

As Misericórdias Portuguesas apoiam mais de 160.000 pessoas em maternidades, creches, hospitais e através de suporte domiciliário.

«Os serviços prestados pela UMP são particularmente relevantes em locais rurais e remotos de Portugal, onde o respeito pelos direitos das pessoas idosas e das pessoas com deficiência, o acesso a cuidados de saúde e a assistência social, nem sempre são assegurados», nota o eurodeputado do PSD e coordenador do PPE na comissão dos orçamentos, felicitando a UMP e aos seus colaboradores por serem agentes de um projeto que «incorpora a solidariedade de facto» e os valores consagrados no projeto europeu.

Prémio é entregue
em novembro
A entrega do Prémio do Cidadão Europeu está agendada para o dia 9 de novembro, numa cerimónia que reunirá também os vencedores das edições de 2020.

O prémio tem um valor simbólico e assume a forma de uma insígnia honorífica ou, no caso de distinções de natureza coletiva, de uma medalha ou placa alusiva.

De Portugal já foram distinguidos com este prémio a Fundação Francisco Manuel dos Santos, a jornalista Teresa de Sousa, o Corpo Nacional de Escutas e a Plataforma de Apoio aos Refugiados.

A UMP, uma associação sem fins lucrativos, reúne 387 instituições que prestam diariamente serviços de saúde e cuidam de pessoas com deficiência, crianças e idosos. Ao longo de 500 anos teve um «contributo essencial para a promoção da dignidade humana em Portugal».

O Prémio do Cidadão Europeu foi lançado pelo Parlamento Europeu em 2008 como forma de reconhecer o trabalho meritório de cidadãos ou grupos ou associações nos domínios da promoção de uma «maior integração dos cidadãos europeus, cooperação, reforço do espírito europeu e no âmbito dos valores consagrados na Carta dos Direitos Fundamentais da União Europeia».

[Notícia na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up