Fotografia: DM

Comunidade paroquial de Lago desafiada a construir uma «igreja viva»

Arcebispo de Braga presidiu hoje à cerimónia de inauguração e dedicação da igreja desta paróquia de Amares.

Jorge Oliveira
27 Jun 2021

A comunidade paroquial de S. Martinho de Lago, Amares, rejubilou hoje com a dedicação e a inauguração das obras de restauro e renovação da igreja que está agora com outra diginidade para o culto religioso.

O Arcebispo Primaz de Braga, D. Jorge Ortiga, que presidiu à cerimónia solene, elogiou a intervenção realizada no templo e agradeceu a todos quantos colaboraram e se empenharam nos trabalhos, desde a paróquia, na pessoa do padre Nuno Edgar, à Câmara de Amares, passando por empresas, famílias e pessoas individuais.

O prelado deu graças ao Senhor por a comunidade de Lago ter «sobressaído» e mostrado a sua «diferença» através da «caridade e da generosidade», num contexto difícil não apenas a nível sanitário e social, mas também a nível económico.

Agora que a paróquia tem uma igreja renovada, D. Jorge Ortiga disse que é preciso construir outra igreja, a «comunidade viva», a dos discípulos de Jesus Cristo, trabalhando de forma sinodal, ou seja, caminhando uns com os outros.

Neste contexto, o Arcebispo pediu à comunidade que procure aperfeiçoar as várias dimensões da vida paroquial, nomeadamente a qualidade da Catequese/Evangelização, a qualidade da vida litúrgica, fazendo com que a comunidade seja ministerial, e a dimensão da caridade, tendo como paradigma o Bom Samaritano.

A intervenção na igreja de Lago compreendeu o restauro e colocação dos retábulos do altar do século XVIII, pintura da abóboda central, restauro de santos e reformulação do espaço da sacristia, tendo sido coordenada pelo Departamento Arquidiocesano para aos Bens Patrimoniais e a comissão de obras.

O pároco de Lago, Nuno Edgar, agradeceu a todos os que contribuíram e se empenharam nos trabalhos, citando um rol de nomes, incluindo o cónego José Paulo Abreu, responsável pelo Departamento Arquidiocesano para aos Bens Patrimoniais, o qual esteve presente e concelebrou a Eucaristia.

A intervenção orçou em 230 mil euros (mais IVA), sem contar as ofertas da talha do altar-mor, dos altares laterais, das pinturas e restauro das imagens dos santos e abóboda central. No total, rondou os 400 mil euros.

A cerimónia contou ainda com o presidente e o vice-presidente da Câmara de Amares, Manuel Moreira e Isidro Araújo, respetivamente, o presidente da Junta de Lago, Delfim Rodrigues, benfeitores, paroquianos e convidados.

No final da cerimónia de inauguração e dedicação da igreja foi inaugurado o Espaço Multiusos de Lago e a ampliação do cemitério local.

O Espaço Multiusos, que servirá também como casa mortuária,  representou um investimento de mais de 100 mil euros. A Junta disponibilizou 78 mil euros.

O alargamento do cemitério, com mais uma centena de sepulturas, rondou os  70 mil euros, assegurando a Junta cerca de 55 mil.

A Câmara Municipal ajudou com materiais.





Notícias relacionadas


Scroll Up