Fotografia: Avelino Lima

Braga leva ciclo de programação cultural a sete espaços patrimoniais classificados

Programa “Descentrar” promove casamento entre a atividade cultural e a valorização e fruição do património das freguesias

Carla Esteves
18 Jun 2021

Sete espaços patrimoniais classificados, localizados nas freguesias periurbanas bracarenses, foram selecionados para acolher, entre 27 de junho e 18 de setembro, um ciclo de programação cultural em rede, que se desenrola num conjunto de ações implementadas ao longo de sete datas distintas.

A iniciativa, designada “Descentralizar”, é da responsabilidade do Município de Braga, e cofinanciada, num total de 75 mil euros, no âmbito do Programa Operacional Norte 2020 e pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

O grande objetivo deste projeto inovador de turismo cultural é promover o património através de novas criações artísticas e abordagens contemporâneas. Assim, nesta programação única, desenhada para cada espaço patrimonial, estão previstos espetáculos de novo circo, concertos, visitas-guiadas aos espaços patrimoniais e concertos comentados de música clássica e erudita.

Hoje, durante a apresentação da iniciativa, no Salão Nobre da Câmara de Braga, a vereadora da Cultura, Lídia Dias esclareceu que o “Descentrar” é o terceiro de três programas que resultaram de uma candidatura realizada em agosto de 2020 ao Aviso Norte- 14-2020-25 Património Cultural – Programação Cultural em Rede – Imaterial.

«Braga concorreu com três projetos, dois dos quais já foram apresentados. O primeiro “Do ferro ao ouro”, juntamente com mais dois municípios da CIM do Cávado, Esposende e Barcelos», adiantou, acrescentando que «quinta-feira foi apresentado em Ponte de Lima um outro projeto, em associação com os 12 concelhos do Alto Minho e a Fundação Consuelo Vieira da Costa, que permitirá trabalhar as nossas raízes e tradições musicais».

Novo paradigma 

cultural no território

Para Lídia Dias o programa “Descentrar” promete trazer um novo paradigma para o nosso território, salientando que «a aprovação da Estratégia de Cultura Braga 2030 permitiu perceber a importância de cultivar um conjunto de territórios e de os qualificar e trabalhar apoiando os nossos agentes artísticos e o nosso tecido cultural».

Por seu turno, o presidente da Câmara de Braga esclareceu que o “Descentrar” surge num contetxo de continuidade das iniciativas desenvolvidas  pelo Município de Braga.

«Nós, Braga, estivemos atentos às oportunidades que surgiram e submetemos três candidaturas todas elas integralmente aprovadas: Portanto, é com muita satisfação, que vimos reconhecido o mérito dos projetos que apresentámos», afirmou Ricardo Rio.

Os eventos do “Descentrar” serão de acesso controlado e sujeitas a inscrição em http://cmbcultura.eventbrite.com.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up