Fotografia: Avelino Lima

Recursos humanos, naturais e empresariais colocam o país na «linha da frente» da transição tecnológica

António Costa visitou o INL fazendo-se acompanhar por ministros, presidentes de autarquias e empresários

Rita Cunha
8 Jun 2021

Os recursos humanos e naturais e a capacidade empresarial existente em Portugal colocam o país bem posicionado no que respeita a transição tecnológica em curso e na qual «não pode deixar de estar na linha da frente», sustentou o Primeiro Ministro, hoje, durante um encontro dedicado à Cadeia de Valor das Baterias Sustentáveis, que decorreu no Instituto Ibérico de Nanotecnologia (INL) na presença de vários ministros, presidentes da Câmaras Municipais, empresários e investigadores.

Na sua intervenção, António Costa lembrou que, pela primeira vez, e ao contrário do que aconteceu no passado, Portugaltem reunidas todas as condições para esta transição , encontrando-se em «vantagem comparativa» relativamente aos outros países, sendo dos que tem «melhores e maiores» reservas de matéria-prima, concretamente lítio, não esquecendo o conhecimento, o «saber de transformar estas reservas de lítio em algo com valor acrescentado».

«A capacidade que o nosso sistema de educação, de formação, o nosso sistema científico-tecnológico desenvolveu nas ultimas décadas, permite que nós nos coloquemos perante este problema, temos de ir buscar reservas de lítio porque temos o saber de transformar essas reservas em algo que tem maior valor acrescentado», descreveu.

«Vamos focar-nos na produção daquilo em que todos os outros estão a dar os primeiros passos. Há áreas em que temos de ser capazes e esta é uma delas (…). Pela primeira vez em muitas transições tecnológicas, nós somos um dos países que tem melhores reservas naturais, maiores reservas naturais da matéria-prima que está na base desta transição», disse.





Notícias relacionadas


Scroll Up