Fotografia: DM

Município de Vila Verde diminui dívida em 800 mil euros em ano de pandemia

Autarquia destaca «forte» apoio social e investimento durante 2020

Redação
4 Jun 2021

A Câmara Municipal de Vila Verde divulgou hoje a Prestação de Contas do Município relativas a 2020, destacando que, apesar da pandemia, houve um «forte apoio social», «elevado investimento» e a diminuição da dívida em 800 mil euros.

Numa nota à imprensa, a autarquia, liderada pelo social-democrata António Vilela, adianta que o município teve o ano passado uma receita total de 35,5 milhões, menos quase 4 milhões que o previsto. Mesmo assim, quer as receitas correntes quer as de capital cresceram, respetivamente, 2,4 milhões de euros e 622 mil euros, ao passo que em 2019 tinham crescido 519 mil euros e 1,1 milhões de euros, respetivamente.

A despesa atingiu 72 por cento da previsão inicial, tendo sido «condicionada por constrangimentos da atividade em geral e das atividades económicas em particular vividos no ano em apreço como resultado da pandemia».

«Ainda assim, a atividade municipal, durante 2020, patenteia o amplo conjunto de esforços desenvolvidos pelo Município no sentido de continuar a fazer do nosso concelho uma terra dinâmica e empreendedora, inclusiva e com maior coesão social», lê-se na nota.

As funções sociais representam 85 por cento do investimento total da autarquia, com destaque para o ensino não superior (passou de 1,2 milhões de euros em 2019, para 1,4 milhões em 2020), o ordenamento do território (1, milhões), o abastecimento de água e o saneamento básico (1,2 milhões), o desporto, recreio e lazer (629.288 euros).

A autarquia indica ainda que em 2020, graças a uma «gestão financeira rigorosa e sustentada», avançaram «relevantes projetos de estímulo ao desenvolvimento local», destacando o programa de requalificação e infraestruturação de vias municipais e a aposta na «mobilidade mais sustentável».

A Câmara  destaca ainda «o enorme trabalho» no combate à pandemia Covid-19 e à superação dos seus efeitos, não apenas a nível sanitário mas, também, a nível social, fruto da união de esforços entre as autoridades de saúde locais, a Santa Casa da Misericórdia, a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Verde e, em geral, todas as IPSS, e o trabalho de proximidade promovido pelas autarquias locais.

[Notícia completa na edição impressa do Diário do Minho]





Notícias relacionadas


Scroll Up