Espaço do Diário do Minho

E porque não?!

26 Mai 2021
Armindo Oliveira

Há quem diga que falta um rio para Braga ser uma grande cidade. É claro que não estou de acordo com esta proposição. Braga tem um rio dentro dos seus muros, Rio Este, que nunca quiseram ou souberam retirar dele todas as suas potencialidades. Antes pelo contrário. Foi durante muitos anos “considerado” um empecilho citadino que só servia para despejar o esgoto de alguns. Esta linha de água foi também sujeita aos maiores vexames. Enclausuram-no no betão, construíram habitações praticamente no seu leito de cheio e esteve esquecido e abandonado à sua sorte durante tempo demais. Hoje está mais limpo, é verdade. Hoje, há outra sensibilidade, outra forma de o ver. De o apreciar. Ainda bem!

De vez em quando, e para desagrado de todos, alguém solta as “cloacas” e tinge-o com uma gordura esquisita, com uma cor esquisita. Até com um cheiro esquisito. Sem descargas, as águas transparentes do rio vão saltitando nas pequenas cachoeiras artificiais com um cantar agradável. Hoje, as suas margens apertadas têm outro aproveitamento. Ao menos isso! Para o lazer e para a fruição. Muita gente as usa. Em caminhadas. Em passeios descomprometidos.

Fizeram uma ecovia para peões. Excelente ideia. Fizeram um pista para as bicicletas e trotinetes. Excelente ideia. Por vezes, as pistas misturam-se. Má ideia. Um perigo. Há troços da ecovia em que se misturam mesmo. Peões e bicicletas no mesmo espaço. Não. Não é aceitável para a segurança das pessoas. Foi pena. Os decisores políticos não acautelaram os interesses de todos e de cada um. Não tiveram o devido discernimento, visão e cuidado na planificação espacial. Poder-se-ia ter feito outra “coisa” mais linda, aprazível e sem qualquer perigo.

A razão que me trás aqui neste pequeno trabalho de observação e de sugestão para o aproveitamento do espaço ribeirinho é eu perceber que, como demonstra a imagem, ser possível construir-se uma ‘praia fluvial”. Praia com uma boa extensão, talvez mais de 400 metros, nas duas margens a bordejar o parque da rodovia. É possível, sim senhor. O rio tem potencialidades para haver uma boa “praia fluvial” com um bom espelho de água. Esta aposta a executar garantiria em permanência a qualidade da água e não permitiria que alguém o poluísse como acontece amiúde. Esta seria uma oferta de lazer arrojada para os bracarenses. Seria mesma uma boa aposta. Seria a “cereja” que falta no embelezamento de uma cidade bonita, airosa e cheia de vida.

Construir uma praia fluvial no Rio Este, porque não?



Mais de Armindo Oliveira

Armindo Oliveira - 26 Jun 2022

Numa altura tão grave para a República e para a democracia, para as instituições e para o povo, seria preciso que houvesse governantes com coragem e arrojo para dar outro movimento, outra energia e uma outra imagem ao país. Seria preciso que aparecessem vozes inconformadas, indomáveis e resistentes para fazer boa oposição. E que houvesse, […]

Armindo Oliveira - 19 Jun 2022

O artigo de Cavaco Silva publicado no jornal on-line Observador ainda dá muito que falar. O antigo primeiro-ministro pegou de cernelha o “touro”, manso, mas de pele escorregadia e espetou-lhe umas bandarilhas no cachaço emproado. Todo o bando, na arena, ficou deveras nervoso, excitado e incomodado com a pega. Pensavam que estavam em segurança nas […]

Armindo Oliveira - 12 Jun 2022

A Educação está em estado esfarrapado. Só não vê quem não quer ver. Todavia, para os mais distraídos e incrédulos, aconselho o leitor a ler, criticamente, os artigos de Santana Castilho, no Público, quinzenalmente, às quartas-feiras. Nesses escritos, tomamos consciência do estado deprimente da Educação nacional e da sua liderança. Se isto não chegar, ouçam […]


Scroll Up