Fotografia: DM

Pediatria de Guimarães celebra 50 anos de serviço às crianças e jovens da região

Comemoração oficial arranca hoje e tem sessão solene no Paço dos Duques de Bragança

Rui de Lemos
24 Mai 2021

O Hospital de Guimarães inicia hoje a comemoração dos 50 anos do Serviço de Pediatria. Nascido em 1971, pela mão de António Gama Brandão para responder a uma taxa de mortalidade infantil muito superior à média do país, hoje é uma das referências de qualidade no país. E prepara uma área exclusiva dedicada ao internamento de adolescentes.

Corriam os anos 70 quando um jovem médico licenciado pela Faculdade de Medicina do Porto fez o seu estágio no Hospital de Crianças D. Estefânia em Lisboa e, após ter sido aprovado como especialista em pediatria, veio viver para Guimarães. Aqui, depressa percebeu uma taxa de mortalidade infantil extremamente elevada. Lutou quase 10 anos, mas conseguiu iniciar no antigo Hospital da Misericórdia, no Convento dos Capuchos, aquele que hoje é um Serviço de Pediatria de referência no país.
António Augusto Gama Brandão é um dos heróis desta história e mais que o fundador do Serviço de Pediatria do Hospital Senhora da Oliveira (HSO), em Guimarães, «é uma inspiração permanente, sempre companheiro e presença assídua, mesmo aposentado desde 2001, no serviço e nas nossas reuniões. Só interrompeu mesmo na pandemia, porque teve de ser», assinala e valoriza ao ‘DM’ a diretora do Serviço de Pediatria do HSO, Águeda Amélia Matos.
Em 1971, a taxa de mortalidade infantil em Guimarães era de 104 por mil, sem quase nada que valesse à pobreza e dificuldades dos desesperados pais. Nesse ano, o serviço abriu com um único pediatra, o fundador, mas foi sempre crescendo. Hoje, conta com 40 pediatras, com especialistas em Pediatria e Neonatologia. E a taxa de mortalidade desceu para os 3,4 por mil.
«Este é um trabalho meritório do serviço, dos médicos, mas também da acentuada melhoria das condições sócio-económicas da região, das condições de trabalho, da prevenção, da nutrição», resume Águeda Matos. No entanto, é hoje «incomparável» a capacidade e qualidade dos serviços hospitalares prestados às crianças e jovens.
Ao cumprir 50 anos de vida, o Serviço de Pediatria do HSO tem áreas diferenciadas para Pediatria e Neonatologia, além de muita diferenciação de serviços médicos especializados prestados, com áreas dedicadas exclusivamente à diabetes, alergologia, malformações ou patologia nefro-urológicas e neorodesenvolvimento. «Fornecemos às crianças e jovens um trabalho muito mais diferenciado e com muito mais qualidade. É sem dúvida um muito melhor trabalho», valoriza Águeda Matos.
Este trabalho de qualidade chega anualmente, em média, na consulta externa a um universo de 10 mil crianças a que se somam mais de 30 mil urgências. As crianças e jovens atendidas pelo serviço, dos zero aos 18 anos de idade, são oriundas de todo o concelho de Guimarães, mas também dos concelhos vizinhos de Vizela, Felgueiras e terras de Basto, numa área geográfica que soma 350 mil habitantes. «O nosso Serviço de Pediatria está hoje ao nível dos melhores serviços nacionais, com o mesmo prestígio e reconhecimento. Tenho uma equipa de pediatras jovens, mas muito abnegados no trabalho, com uma capacidade formativa excelente e qualifico o nosso serviço como de muito boa qualidade», ilustra e exalta Águeda Matos.
No entanto, o aspiração da principal responsável pelo Serviço de Pediatria do HSO é a de «melhorar sempre e cada vez mais». Por isso, ao soprar as velas do bolo dos 50 anos Águeda Matos acalenta o desejo criar uma área dedicada exclusivamente ao internamento de adolescentes. «Queremos criar uma área dedicada e diferenciada, porque os adolescentes são uma faixa etária que exige condicionantes de melhor atendimento e, sobretudo, mais expecífico. Esta será seguramente uma das nossas aquisições de futuro», revelou. Quanto ao mais, «só era necessário que a pandemia nos desse paz, porque o resto está assegurado», concluiu.





Notícias relacionadas


Scroll Up