Fotografia: DM

Política vence prudência dos técnicos e Braga ganha centro de saúde inseguro

Ricardo Rio reconhece que Divisão de Mobilidade contestou localização da extensão de saúde Cabreiros/Sequeira

Joaquim Martins Fernandes
17 Mai 2021

A construção da nova unidade de saúde que vai servir as populações de Cabreiros e de Sequeira, no concelho de Braga, num local que os técnicos da Divisão de Mobilidade da Câmara Municipal de Braga afirmam ser inseguro para os utentes «é uma decisão política».

O reconhecimento foi assumido hoje pelo presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, na reunião quinzenal da vereação, depois de os vereadores do Partido Socialista terem levantado as questões relativas à insegurança do equipamento de saúde, noticiadas ontem na edição online do Diário do Minho e que resultam da ausência de estacionamento para utentes e profissionais do centro de saúde, da falta de acessos seguros pedonais seguros à futura unidade de saúde e de uma localização excessivamente próxima da muito movimentada Estrada Nacional 103, que não tem passeios nem na zona de implantação da extensão de saúde nem nas proximidades.

«A decisão política é inquestionável. Esta é uma aspiração genuína das populações e as atuais instalações não servem as populações. Esta é uma solução que responde aos problemas. Entenderam os nossos serviços de mobilidade que a localização não é a ideal e o que vamos fazer é introduzir algumas soluções para mitigar os problemas apontados pela Divisão de Mobilidade», afirmou Ricardo Rio.

Os vereadores do PS, pela voz do líder Artur Feio, consideraram que as explicações de Ricardo Rio «eram a garantia» de que os problemas de insegurança serão minimizados, embora tivessem sublinhado que, depois de ouvirem os presidentes das Juntas de Freguesia de Cabreiros e de Sequeira, acompanhavam «algumas das preocupações» expressas num parecer da Divisão de Mobilidade da autarquia bracrense sobre o projeto de construção do equipamento de saúde que lhe foi submetido para avaliação.

«Importará agora acautelar os fluxos de tráfego e adequar a oferta dos Transportes Urbanos de Braga às necessidade dos utentes», alertou Artur Feio.

Embora todas as forças políticas tenham reconhecido que a localização da nova extensão de saúde Cabreiros/Sequeira motiva sérios problemas, a atribuição de “luz verde” à obra da Administração Regional de Saúde do Norte teve o voto não apenas da maioria, mas também do PS e da CDU.





Notícias relacionadas


Scroll Up